O goleiro e Macarrão estão em celas separadas na Divisão de Homicídios, na Barra da Tijuca

O plantão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) negou no início da manhã desta quinta-feira (08) a transferência do goleiro Bruno e de seu amigo Luiz Henrique Romão, o Macarrão, para Belo Horizonte. Eles permanecem presos na Divisão de Homicídios da Polícia Civil, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro.

Contudo, o presidente do TJ-RJ, Luiz Sveiter, informou que a situação será analisada novamente após às 11h, pelo juiz da 38ª Vara Criminal. Às 9h30 o advogado do jogador, Michel Assef Filho, chegou à DH, mas não quis falar com a imprensa. Bruno e Macarrão estão em celas separadas, de oito metros quadrados cada uma.

Prisão

Bruno e Macarrão se entregaram no final da tarde desta quarta-feira à carceragem da Polinter, no Andaraí, zona norte do Rio. De lá, os dois seguiram para a Divisão de Homicídios, onde deveriam prestar depoimento. Na chegada dos dois à delegacia houve grande tumulto e os policiais tiveram que fazer um cordão de isolamento para que o jogador e o amigo entrassem na delegacia. Cerca de 200 pessoas estavam em frente à Divisão de Homicídios e hostilizaram os dois com gritos de "assassinos".

Na delegacia, Bruno e Macarrão falaram separadamente por cerca de 20 minutos cada e se negaram a prestar depoimento. Ambos disseram que só irão prestar esclarecimentos em juízo. O jogador do Flamengo foi indiciado pela Justiça do Rio como o mandante do sequestro de Eliza Samudio, de 25 anos, com quem teve um relacionamento extraconjugal. Já Macarrão foi indiciado como um dos executores do crime, junto com o adolescente de 17 anos, que seria primo do goleiro, e prestou depoimento na última terça-feira, confessando envolvimento no caso.

Depoimento

Um adolescente foi apreendido na última terça-feira na casa de Bruno e teria confessado , em depoimento à polícia, seu envolvimento no sequestro de Eliza Samudio. Segundo informações da polícia, ele teria confirmado que a jovem está morta.

O jovem, cuja identidade não foi divulgada, reconheceu que participou com "Macarrão" do sequestro da ex-amante do atleta. Segundo a polícia, ele relatou que a ex de Bruno foi colocada à força em uma caminhonete de propriedade do jogador que era dirigida por Macarrão. O menor teria dito que estava escondido no carro e deu uma coronhada em Eliza, que discutia com o amigo de Bruno, mas não relacionou isso à morte dela.

O jovem foi detido depois que seus próprios parentes alertaram a polícia que ele estava escondido na casa de Bruno, no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste do Rio.

Desaparecimento

Eliza Samudio, de 25 anos, está desaparecida desde o início de junho. O filho da jovem, de 4 meses, que seria fruto de um relacionamento com o atleta do Flamengo, foi encontrado pela polícia há duas semanas em poder de uma família de conhecidos da atual mulher do jogador e foi entregue ao avô materno.

Bruno diz que o filho de Eliza foi levado a sua casa por Macarrão e afirma que a modelo o teria entregue para resolver problemas pessoais. A polícia fez buscas em várias propriedades do jogador à procura de pistas que possam indicar o paradeiro da jovem. O corpo de Eliza chegou a ser procurado também no fundo de uma lagoa em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.