Justiça nega pedidos de liberdade para suspeitos de caso Eliza

Decisão foi publicada hoje. Para goleiro Bruno, Justiça já negou 18 pedidos

Alessandra Mendes, especial para o iG |

Foi publicada nesta quarta-feira (28), no site do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, a decisão do desembargador Júlio Cezar Guiterrez que negou os pedidos de habeas corpus para três suspeitos de envolvimento no desaparecimento de Eliza Samudio.

A justiça alegou que não concederia as liminares a favor de Flávio Caetano de Araújo, Wemerson Marques (o Coxinha) e do caseiro do sítio do jogador, Elenílson Vítor da Silva, pois não constavam nos autos elementos suficientes que justificassem a soltura dos acusados.

O desembargador afirmou, ainda, que no pedido de liberdade constava o nome do jogador Bruno Rodrigues, além da sua mulher, Dayanne de Souza e de seu amigo, Luiz Henrique Romão, o Macarrão, e que eles poderiam ser beneficiados caso se julgasse a alegação da defesa procedente.

Justiça já recebeu 18 pedidos de habeas corpus para Bruno

O Tribunal do Júri de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, já registrou 18 pedidos de habeas corpus para o goleiro Bruno, desde o dia 7 deste mês - data do decreto de sua prisão temporária. Ainda foi recebido um outro pedido que foi arquivado por falta de assinatura digital.

Os desembargadores Doorgal Andrada e Júlio Cezar Gutierrez, ambos da 4ª Câmara Criminal do TJMG, indeferiram todos os pedidos.

    Leia tudo sobre: habeas corpusBrunoElizaCoxinha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG