Juíza vai pedir investigação sobre uso de medicamentos por Bruno

Em audiência, amigo de Bruno afirmou que ele tomou antidepressivo em excesso

Alessandra Mendes, especial para o iG |

A juiza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, que preside as audiências do processo em que Bruno e outras oito pessoas respondem pelo desaparecimento e morte de Eliza Samudio, vai pedir investigação para averiguar como está sendo a distribuição de remédios para o goleiro na prisão.

A decisão foi tomada pela juíza depois que Bruno passou mal mais uma vez durante uma audiência no Fórum de Contagem, na Grande Belo Horizonte na quarta-feira. A magistrada constou em ata que o goleiro havia tomado dois comprimidos de medicamento para combate à depressão na noite de terça-feira (12), dois na madrugada e dois na manhã de quarta (13). 

A juíza quer saber quem está fazendo a distribuição dos medicamentos para Bruno, de que forma isso acontece, além de quantos remédios ele deve tomar e quantos realmente toma por dia no presídio. Alguns advogados dos réus, que estavam na audiência quando Bruno passou mal, chegaram a acusar a Secretaria de Estado de Defesa Social de Minas de dopar o jogador.

 A Secretaria, por meio da assessoria de imprensa, desmentiu a informação e disse que Bruno está tomando apenas o medicamento receitado pelo médico para combater depressão.

    Leia tudo sobre: brunoelizamacarrãocrimesequestro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG