Goleiro Bruno troca de advogados

Advogados da ex-mulher e da ex-secretária de Marcos Valério integram equipe

Denise Motta, iG Minas Gerais |

O ex-goleiro Bruno Fernandes de Souza, acusado de envolvimento no desaparecimento da ex-amante Eliza Samudio, tem uma nova equipe de defesa.

O curitibano Cláudio Dalledone deixou o caso e em seu lugar entram dois outros escritórios de advocacia comandados pelos criminalistas Francisco Simin e Rui Caldas Pimenta. O primeiro é advogado da ex-mulher de Bruno Dayanne Rodrigues do Carmo Souza. Já Pimenta defendeu, entre outros, a ex-secretária de Marcos Valério Fernandes de Souza, Fernanda Karina Somaggio.

Faxineiro: Bruno trabalha na prisão

Procurado pelo iG , Simin disse que esteve com o ex-goleiro nesta terça-feira (06) e que ele está muito animado com a possibilidade de ser libertado. Bruno aguarda julgamento na Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria, em Contagem. O advogado adiantou que espera a publicação de acórdão do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), referente à negação de liberdade ao atleta, para poder acionar a última instância, o Supremo Tribunal Federal (STF).

Simin negou que haja qualquer conflito entre as defesas de Dayanne e de Bruno. “Estudamos primeiro a liberdade dele e, depois, a estratégia do juri. Não há conflito de interesse pois a Dayanne não foi denunciada pelo homicídio (de Eliza), apenas pelo cárcere do Bruninho”, afirmou o novo defensor do ex-goleiro. Pimenta não foi encontrado para comentar o caso.

Saiba tudo sobre o Caso do Goleiro Bruno

Cláudio Dalledone anunciou pela internet a renúncia ao caso nesta terça-feira (06). “Não há mais compatibilidade entre a tese de autodefesa eleita pelo goleiro Bruno e meu escritório! Assim, renunciamos hoje o Caso Bruno”, postou o advogado em sua conta no Twitter, no começo da noite.

A reportagem do iG entrou em contato com o advogado, que disse não querer render muito o assunto. “Já deixei o caso e me posicionei no Twitter. Estou numa divergência em uma questão técnica de defesa”, limitou-se a dizer Dalledone, há pouco mais de um ano no caso. Ele assumiu a defesa do goleiro após a saída do advogado Ércio Quaresma, que chegou a cochilar em audiências e confessou ser dependente químico. Dalledone não tem, agora, nenhum cliente envolvido no caso. Já Quaresma advoga na defesa do acusado de ser o executor de Eliza, o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, conhecido como Bola.

    Leia tudo sobre: goleiro brunoadvogados

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG