Goleiro Bruno recebe autorização para treinar na cadeia

Atleta poderá usar meião, caneleira e bola durante os banhos de sol

AE |

selo

Afastado dos campos desde julho do ano passado, o goleiro Bruno Fernandes, acusado do assassinato de sua ex-amante Eliza Samudio, de 25 anos, vai poder voltar a treinar. Ele está preso na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Bruno conseguiu uma autorização para poder voltar à atividade, com equipamentos.

A decisão foi da Vara de Execuções Criminais (VEC) do Fórum de Contagem, que acatou pedido da defesa do goleiro, que já atuou pelo Atlético-MG, Corinthians e Flamengo. A questão da segurança foi analisada pela Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), que permitiu ao atleta usar meião, caneleira e bola durante os banhos de sol.

Samuel Aguiar/Em Tempo/AE
Goleiro Bruno em audiência
Bruno foi preso em julho do ano passado, por ordem da Justiça, acusado de envolvimento no sequestro e assassinato de Eliza. No fim do ano, a juíza Marixa Fabiane Lopes determinou que ele seja julgado por um júri popular. Além do goleiro, serão julgados pelo crime o amigo do atleta Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão; Sérgio Rosa Sales, que é primo de Bruno; e o ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, acusado de ter executado a vítima.

Outros quatro acusados, que estão em liberdade, vão responder processo por sequestro e cárcere privado. O jogador sempre negou o crime e disse várias vezes que pretende jogar bola ao deixar a prisão.

    Leia tudo sobre: brunoelizamacarrãocrimesequestrobola

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG