Expectativa para depoimentos de Bruno e Macarrão

Bruno, Macarrão e Marcos passaram a noite na penitenciária de segunraça máxima Nelson Hungria, em Contagem

Alessandra Mendes, especial para o iG |

Esta manhã promete ser movimentada no Departamento de Investigações, em Belo Horizonte, onde vão prestar depoimenton o goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, o amigo dele Luiz Henrique Romão (o Macarrão) e o ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, que seria o assassino de Eliza Samudio, ex-amante do jogador.

Bruno, Macarrão e Marcos passaram a noite na penitenciária de segunraça máxima Nelson Hungria, em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte. Saíram do Departamento de Investigações por volta das duas horas da manhã da madrugada desta sexta-feria (9). Eles devem ser ouvidos no fim da manhã, já que os delegados trabalharam até muito tarde.

Bruno e Macarrão chegaram a Belo Horizonte pouco depois das onze horas da noite de quinta-feira trazidos do Rio de Janeiro no avião da polícia civil mineira, o Bandeirantes. O avião pousou no hangar da polícia no Aereporto da Pampulha, onde cerca de 70 pessoas, entre policiais e jornalistas, esperavam pela chegada dos dois.

Na chegada ao Departamento de Investigações (DI), Bruno entrou de cabeça erguida e com o rosto descoberto em meio a uma multidão de jornalistas e curiosos. O goleiro foi recebido pelo chefe do DI, Edson Moreira, que disse a Bruno apenas uma frase: "Agora é comigo".

AE
O goleiro Bruno, do Flamengo, ao chegar ao Departamento de Investigações de Belo Horizonte

O advogado de Bruno e Macarrão, Ércio Quaresma, disse esta manhhã que orientou os clientes a não falarem nada até que ele tenha acesso ao inquérito. Durante uma coletiva do dolegado Moreira na quinta-feira (8), Quaresma chegou a interromper o chefe do DI para cobrar que tivesse acesso aos dados, o que causou certo tumulto na coletiva.

    Leia tudo sobre: eliza samudiobrunocrimedayanne souza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG