Advogado de defesa diz que seu cliente recebeu um tapa do delegado Júlio Wilke dentro do Departamento de Investigações

O laudo do exame de corpo de delito de Luíz Henrique Romão, o Macarrão, que apontaria se ele sofreu agressão por parte da polícia deu negativo. A análise não apontou sinais dessa natureza, indo contra o que alegou a defesa do suspeito do desaparecimento de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno. O advogado Ércio Quaresma afirmou para a imprensa que Macarrão foi agredido por um delegado dentro do Departamento de Investigações.

Já o delegado da Divisão de Homicídios de Belo Horizonte, Júlio Wilke, pretende processar o advogado que o acusou de “dar um tapa” em Macarrão na segunda-feira (19). "Eu sequer estava acompanhando o depoimento. Ele só pode ter tido uma alucinação", afirmou Wilke.

Bola também vai passar por exames

Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, também vai passar por exame no Instituto Médico Legal por causa de uma suposta agressão. De acordo com o advogado dele, Zanone de Oliveira, Bola teria sido agredido dentro de uma viatura que faz o transporte dos presos entre o presídio de segurança máxima, Nelson Hungria, em Contagem, e o Departamento de Investigações, em Belo Horizonte.

Bola teria batido a cabeça e quebrado um dente, mas o advogado não soube precisar quando isso teria acontecido. Nesta terça-feira (20), a juíza de Contagem, Marixa Rodrigues, autorizou que o suspeito faça o exame. Os advogados de Bola ainda tentam conseguir autorização para que ele seja levado a um hospital. Segundo Zanone, Bola estaria sentindo fortes dores no peito e pode estar com pneumonia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.