Eliza está morta, diz jovem apreendido pela polícia

Rapaz, que seria primo de Bruno, estava na casa do goleiro

iG Rio de Janeiro |

O coordenador de investigação da Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Rio, identificado apenas como Guimarães, disse nesta terça-feira que o menor de idade apreendido na casa do goleiro Bruno , do Flamengo, confirmou que Eliza Samudio, de 25 anos, está realmente morta. A jovem teve um caso extraconjugal com o atleta rubro-negro e está desaparecida há cerca de um mês. Bruno deve prestar depoimento nesta sexta-feira .

O menor de idade, que segundo a polícia é primo de Bruno, foi apreendido no início da tarde desta terça-feira após uma denúncia feita pela Rádio Tupi . Segundo a reportagem da emissora, um motorista de ônibus informou que o filho de uma de suas sobrinhas, um adolescente de 17 anos, teria participado do possível assassinato de Eliza.

iG São Paulo
Viaturas da polícia em fente a casa do goleiro, onde apreenderam adolescente

O jovem foi ouvido por policiais da Divisão de Homicídios por mais de oito horas. Em seu depoimento, ele confessou ter participado com Luiz Henrique Ferreira Romão, conhecido como Macarrão, do sequestro da ex-amante de Bruno. Eles foram ao hotel na Barra da Tijuca, onde Eliza estava hospedada, com o carro do goleiro e a levaram junto com o filho de quatro meses, suposto fruto do relacionamento com o jogadora, para o sítio do atleta, em Minas Gerais.

Segundo o relato do rapaz apreendido, durante o trajeto, ele teria dado uma coronhada em Eliza com uma pistola de Macarrão. A mulher teria desmaiado, mas não faleceu com o golpe. A causa da morte, no entanto, ainda não foi esclarecida. Recentemente, foram encontrados vestígios de sangue no carro de Bruno. As amostras foram enviadas para exames, que comprovarão se o material é ou não de Eliza. Também foram encontrados um óculos e sandálias que testemunhas afirmam pertencer à garota.

Em seu depoimento à polícia, o jovem não confirmou a informação divulgada pela Rádio Tupi de que Bruno teria dado R$ 3 mil a um homem identificado como Cleiton para que ele entregasse o corpo de Eliza a um traficante, que por sua vez sumiria com o cadáver.

Para a polícia, a história relatada confere com a apuração feita pela Polícia Civil de Minas Gerais, embora o menor de idade tenha entrado em diversas contradições. Os antecedentes criminais do adolescente ainda não foram checados e ele deixou a delegacia escondido por um cobertor sem falar com a imprensa. O local para onde o rapaz foi levado não foi divulgado. “Ele confirmou o sequestro e disse que não estava em cárcere privado na casa de Bruno”, informou Guimarães, completando que a polícia do Rio está em contato direto com a polícia de Minas Gerais.

    Leia tudo sobre: eliza samudiobrunogoleiroflamengodesaparecimento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG