Delegado agrediu Macarrão na cadeia, diz advogado

Suspeito teria sido agredido por um delegado com um tapa no peito e jogado no chão

Alessandra Mendes, especial para o iG |

Futura Press
Bruno ao chegar ao Departamento de Investigações, para novo depoimento nesta segunda-feira
O advogado Ércio Quaresma disse nesta segunda-feira que seu cliente Luiz Henrique Romão, conhecido como Macarrão, foi agredido por um delegado dentro de uma sala da Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem (MG). Ele e o goleiro Bruno Fernandes Souza estão detidos sob suspeita de envolvimento no desaparecimento de Eliza Samudio, ex-amante do atleta. 

O episódio teria acontecido nesta segunda-feira, quando Macarrão foi perguntado pelo delegado - de nome não revelado - se queria trocar de advogado. Segundo o advogado, Macarrão levou um tapa no peito e chegou a cair no chão. "Ele foi agredido para que prestasse depoimento, coisa que não vai fazer. A intenção também era que ele mudasse de advogado", afirmou Quaresma.

Segundo o advogado, o delegado Edison Moreira, responsável pelas investigações do caso em Minas Gerais, disse que Macarrão será encaminhado para a realização de um exame de corpo delito. 

Quaresma, que defende Bruno e o Macarrão, disse que os dois são ouvidos nesta tarde no Departamento de Investigações por representantes da Corregedoria da Polícia Vivil e também da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MG). 

Bruno está falando com o corregedor adjunto da Polícia Civil, Antônio Gama Júnior, sobre o vídeo divulgado neste domingo pelo "Fantástico" onde ele aparece atribuindo a Macarrão a culpa do que teria acontecido com Eliza. Dentro do avião da polícia civil, Bruno contou que estava chocado com tudo que ficou sabendo e alegou inocência.

*com informação da Agência Estado

    Leia tudo sobre: caso brunoeliza samudio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG