Defesa vai entrar com habeas corpus para cinco do caso Bruno

Tribunal de Justiça de Minas já negou benefício ao goleiro

iG Rio de Janeiro |

A defesa de cinco suspeitos de envolvimento no desaparecimento e suposto assassinato de Eliza Samudio vai entrar nesta segunda-feira com pedidos de habeas corpus para seus clientes. De acordo com advogado Frederico Franco, as solicitações serão feitas em favor de Dayanne de Souza (esposa de Bruno), Luiz Henrique Romão (Macarrão), Wemerson Marques (Coxinha), Flávio Caetano (Flavinho) e Elenilson Vitor da Silva (administrador do sítio de Bruno).

Para Frederico Franco, a justificativa da polícia para manter os suspeitos presos é absurda. “Os requisitos que fundamentam a prisão temporária não existem. A polícia pressupõe que os envolvidos possam atrapalhar as investigações. Porventura, alguns desses pobres coitados que estão presos atrapalharam a investigação da polícia?”, questionou o advogado.

Recurso em Brasília

Em relação ao pedido de habeas corpus para o goleiro Bruno, a defesa informou que está avaliando se vai recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) nesta semana ou se vai impetrar o recurso em agosto. “Parece que o ministro de plantão é da Câmara Cível e temos que confirmar também o período de recesso do Superior”, justificou Franco.

Na última quinta-feira, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) negou a solicitação da defesa de Bruno . O desembargador Doorgal Andrada, da 4ª Câmara Criminal, argumentou que o decreto que fundamentou a prisão temporária do goleiro baseou-se na presença de indícios de autoria e materialidade do crime e na importância de viabilizar a coleta de provas.

*reportagem de Edilene Lopes, especial para o iG

    Leia tudo sobre: Eliza Samudiogoleirobrunohabeas corpus

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG