Advogado defendeu o princípio da presunção da inocência de seus clientes

O advogado Ércio Quaresma entrou na tarde desta quinta-feira (15) com um pedido de habeas corpus para o goleiro Bruno e outros seis suspeitos de participação no desaparecimento e suposto assassinato de Eliza Samudio, ex-amante do jogador. Um dos nomes que consta no pedido, segundo informações do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, é o de Sérgio Rosa Sales, primo de Bruno, cujo advogado não é o mesmo de Bruno.

Ércio Quaresma defende, além do goleiro, Dayanne de Souza (mulher do jogador), Luiz Henrique Romão (amigo do atleta, conhecido como Macarrão), Wemerson Marques (o Coxinha), Flávio Caetano de Araújo (o Flavinho) e Elenílson Vítor da Silva (caseiro do sítio do goleiro). Advogado de Sérgio, Marco Antônio Siqueira entrou na quarta-feira com um pedido de revogação da prisão temporária de seu cliente. A solicitação deve ser julgada até a próxima terça-feira (20).

De acordo com o TJ-MG, Quaresma argumentou na solicitação do habeas corpus que "a menos que seja absolutamente necessário, não se deve mandar um criminoso para a cadeia. A prisão não deve funcionar como uma satisfação dessa pulsão primitiva que os ser humano tem pela vingança".

Segundo o Tribunal, o advogado defendeu o princípio da presunção da inocência. "No presente caso, salvo a necessidade de se torturar física e psicologicamente os suspeitos, nada mais justifica o encarceramento deles, em especial do ora paciente", afirmou Quaresma. 

Em seu pedido, o advogado alegou ainda que o goleiro Bruno é um atleta disputado por clubes de alto nível e que está tendo a carreira prejudicada "em virtude da segregação de sua liberdade que não se mostra necessária".

Nenhum dos dois defensores foi encontrado para falar sobre o assunto. Marco Antônio Siqueira está na delegacia acompanhando o depoimento de Sérgio e Quaresma não atende às ligações. O desembargador Doorgal Andrade será o responsável pela análise do pedido.

Bruno já tem outra solicitação de habeas corpus para ser julgada. O pedido foi feito via e-mail do Rio de Janeiro, cujo remetente é João Carlos Augusto Melo. Ele não faria parte da equipe que integra a defesa de Bruno e ninguém ainda sabe dizer qual seria a sua ligação com o jogador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.