Dayanne diz em carta que foi coagida pela polícia

Mulher de Bruno, que está presa em Belo Horizonte, afirma ainda que Ércio Quaresma Firpe é novamente seu advogado

AE |

O advogado Ércio Quaresma Firpe divulgou na tarde desta terça-feira uma carta escrita por Dayanne Souza, mulher do ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes Souza, em que ela afirma que o advogado voltará a fazer a sua defesa.

Na carta, ela diz que na sexta-feira, 16, por volta de 7 horas da manhã, foi levada para o departamento de investigações da polícia mineira, em Belo Horizonte, onde iria prestar depoimento. No local, ela teria sido orientada por familiares a trocar de advogado após a polícia relatar um possível descaso da atual defesa com o caso.

Ainda segundo a carta, Dayanne teria sido informada que seu depoimento havia sido filmado, ato não autorizado por ela. Durante o depoimento, ela afirmou que Bruno pediu para que ela ficasse com o filho de Eliza. Ele iria viajar e sua ex-amante havia saído para fazer compras.

Dayanne está presa por subtração de incapaz no complexo penitenciário Estevão Pinto, na região metropolitana da capital mineira. Ela foi autuada depois de tentar esconder o bebê de Eliza.

A juíza Marixa Lopes Rodrigues, da comarca de Contagem, em Minas Gerais, negou o pedido de revogação da prisão temporária feito pela defesa de Dayanne. O pedido foi feito na segunda-feira.

Ércio Quaresma representa outros suspeitos envolvidos no sumiço de Eliza Samudio, ex-amante de Bruno. A jovem sumiu no início de junho. Um adolescente de 17 anos, primo de Bruno, confirmou à polícia que Eliza foi morta por estrangulamento. O corpo ainda não foi localizado.

    Leia tudo sobre: eliza samudiobrunocrimedayanne souza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG