Corpo em São Paulo não é de Eliza Samudio

Exame comprova que ossada encontrada em Cachoeira Paulista pertence a um homem

Alessandra Mendes, especial para o iG |

O delegado Edson Moreira deve receber nesta quinta-feira o laudo que comprova que o corpo encontrado carbonizado em Cachoeira Paulista, no interior de São Paulo, não é de Eliza Samudio. O resultado do exame aponta que os ossos analisados pertenciam a um homem. A polícia mineira solicitou que o DNA dos restos mortais fosse cruzado com o material genético de familiares da ex-amante do goleiro Bruno.

O delegado de Cachoeira Paulista, a 212 km da capital paulista, informou aos investigadores de Minas Gerais sobre a localização da ossada no dia 19 de julho. Os restos mortais foram encontrados no bairro São Miguel, no dia 26 de junho, totalmente carbonizados e sem a arcada dentária superior.

Suspeitos vão ser identificados

Fontes ligadas às investigações do caso do desaparecimento de Eliza Samudio informaram que todos os suspeitos de participação no seqüestro e assassinato da jovem, exceto o adolescente de 17 anos, vão tirar as impressões digitais para identificação oficial, necessária no fechamento do inquérito. Eles serão levados pela manhã até o Departamento de Investigações (DI).

O goleiro Bruno, o amigo dele Luiz Henrique Romão, o Macarrão, o ex-policial civil conhecido como Bola, Dayanne (mulher do goleiro), Elenílson, Flávio, Wemerson e Sérgio começam a chegar ao DI após as 7h30. O processo deve ser rápido e não há previsão de depoimentos.

    Leia tudo sobre: eliza samudiogoleiro brunodesaparecimento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG