Celas improvisadas recebem Bruno e Macarrão

Suspeitos do assassinato de Eliza Samudio, goleiro e amigo dormiram em celas individuais improvisadas, com colchonete e cobertores

Gazeta Esportiva |

Suspeitos do desaparecimento de Eliza Samudio , o goleiro Bruno e seu amigo Luiz Henrique Romão, o Macarrão, passaram a noite na sede da Divisão de Homicídios do Rio (DH), na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ambos dormiram em celas individuais improvisadas, com colchonetes e cobertores. Ninguém recebeu visitas.

A dupla se entregou no fim da tarde desta quarta-feira após a Justiça expedir um mandado de prisão temporária. Segundo o advogado Michel Assef Filho, Bruno respondeu uma série de perguntas sobre o caso e desmentiu participação em um suposto assassinato da ex-amante.

Luiz Henrique Romão, o Macarrão, optou pelo silêncio no contato com as autoridades cariocas. Ele avisou que vai falar apenas em juízo.

A delegada-adjunta da Delegacia de Homicídios de Contagem, Alessandra Wilke, pretende levar Bruno e Macarrão para um depoimento em território mineiro ainda nesta quinta-feira. "A gente quer tirar contradições sobre inquérito, se o Bruno esteve no sítio, quem estava com ele, quem realmente foi ao sítio no dia em que a Eliza foi lá", afirmou em entrevista coletiva.

Até o momento, Bruno está indiciado como mandante do sequestro de Eliza. Sem novidades de outras testemunhas, a Polícia continua carregando o depoimento do menor como base das investigações.

    Leia tudo sobre: ElizaBrunoassassinatocrime

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG