Bruno e Macarrão são levados a Bangu 2

Goleiro e o amigo ficarão presos em celas provisórias

Bruna Fantti e Daniel Gonçalves, especial para o iG |

O comboio levando o goleiro Bruno e seu amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, mais conhecido como Macarrão, chegou às 14h30 desta quinta-feira ao presídio de Bangu 2, no Complexo Penitenciário de Gericinó, na zona oeste do Rio de Janeiro. Cerca de 50 pessoas se aglomeraram na entrada do presídio com gritos de “justiça” e “assassino”. As viaturas com os presos saíram às 12h50 da Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Rio, na Barra da Tijuca, também na zona oeste da capital fluminense, e no trajeto passaram pelo Instituto Médico Legal, onde os detidos realizaram exame de corpo de delito.

Bangu 2 foi escolhido para receber Bruno e Macarrão por ser considerado um presídio do Complexo de Gericinó sem conflitos entre facções criminosas. Os dois ficarão detidos em celas provisórias. “Nós não temos condições, na Polinter, de oferecer um serviço que atenda a nossa demanda. Na verdade, lá [no Complexo de Gericinó] existem alas para presos provisórios”, informou Orlando Zaconi, responsável pelo controle de presos na Polinter, na manhã desta quinta-feira.

AE
Bruno e Macarrão são levados a Bangu 2, onde ficarão presos

Prisão

Bruno e Macarrão se entregaram no final da tarde de quarta-feira à carceragem da Polinter, no Andaraí, zona norte do Rio. De lá, os dois seguiram para a Divisão de Homicídios da Polícia Civil, onde deveriam prestar depoimento. Na chegada dos dois à delegacia houve grande tumulto e os policiais tiveram que fazer um cordão de isolamento para que o jogador e o amigo entrassem na delegacia. Cerca de 200 pessoas estavam em frente à Divisão de Homicídios e hostilizaram os dois com gritos de "assassinos".

Na delegacia, Bruno e Macarrão falaram separadamente por cerca de 20 minutos cada e se negaram a prestar depoimento. Ambos disseram que só irão prestar esclarecimentos em juízo. Os dois passaram a noite presos em celas separadas, de aproximadamente oito metros quadrados cada uma.

O jogador do Flamengo foi indiciado pela Justiça do Rio como o mandante do sequestro de Eliza Samudio, de 25 anos, com quem teve um relacionamento extraconjugal. Já Macarrão foi indiciado como um dos executores do crime, junto com o adolescente de 17 anos, primo do goleiro, e prestou depoimento na última terça-feira, confessando envolvimento no caso.

    Leia tudo sobre: Eliza SamudioBrunogoleiroFlamengo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG