Bruno é disputado por presos para integrar 'pelada' na prisão

Bruno e outros suspeitos devem permanecer isolados por 15 dias sem visitas e banho de sol. Apenas será permitido o contato com seus advogados

Gazeta Esportiva |

A presença do goleiro Bruno na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem-MG, animou os presos para a realização das tradicionais 'peladas'. De acordo com familiares dos que ali cumprem pena, as equipes formadas já se movimentam para tentar garantir o ex-jogador do Flamengo, que teve seu contrato suspenso recentemente.

As informações são do jornal carioca O Dia. Bruno cumpre prisão provisória por tentar atrapalhar o andamento do inquérito no qual é investigado pelo sequestro e assassinato de Eliza Samudio, sua ex-amante. Ele foi detido junto com seu amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, e o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola.

Em dia de visita, os familiares dos presos tomaram conhecimento da disputa para ter o arqueiro em seu plantel. A expectativa também é alta para conseguir um autógrafo do goleiro. Apesar disso, Bruno e o restante dos suspeitos deverão permanecer trancafiados por 15 dias sem direito a visitas e banho de sol. Só terão contato com seus advogados.

Bruno chegou a ser considerado foragido da Justiça após a emissão do mandado de prisão preventiva pelo Ministério da Justiça, na última quarta-feira, mas se entregou no Rio de Janeiro. Sua situação é complicada, uma vez que o delegado responsável pelo caso revelou que ele foi o mentor do assassinato de Eliza Samudio. O corpo da ex-modelo ainda não foi encontrado.

    Leia tudo sobre: caso Brunofutebolprisão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG