Ex-goleiro é acusado no desaparecimento de Eliza Samudio. Agora, ele tenta vender o sítio que teria servido de cativeiro para ela

Advogados de Sônia Fátima Moura, mãe de Eliza Samúdio, contestam a venda de um sítio do ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes de Souza, em Esmeraldas, na Grande Belo Horizonte. O sítio, que teria servido de cativeiro de Eliza em 2010, foi colocado à venda por meio de anúncios em jornais que circulam em Minas Gerais. Avaliado em R$ 1,2 milhão, ele possui 5 mil metros quadrados, sendo 400 metros de área construída. Os advogados já pediram o bloqueio da venda do sítio, para uma eventual indenização.

Maria Lúcia Borges, advogada da mãe de Eliza, conta que tramitam alguns pedidos de indenizações a favor de sua cliente e do neto dela, Bruninho, filho de Eliza com o goleiro Bruno. Ela conta ainda que pediu o bloqueio de diversos imóveis do ex-goleiro e que já obteve sucesso em um processo referente a um apartamento no Rio de Janeiro. “Se existir a venda e a Justiça determinar o bloqueio do sítio, o negócio será anulado. Qualquer negociação feita em bens posteriormente bloqueados será anulada”, afirmou a advogada.

José Arteiro Cavalcante Lima, também advogado da mãe de Eliza, conta que pelo menos dois pedidos de indenização estão em curso, ambos no valor de R$ 600 mil cada. “Quem comprar o sítio pode ter que devolver porque pedimos sequestro dos bens do Bruno em decorrência das indenizações”, disse.

Sérgio Barros Silva, advogado de Luiz Carlos Samúdio, pai de Eliza, considera que, no caso de indenização, a movimentação de bens fica comprometida, o que inclui a venda do sítio. Ele disse que irá aguardar decisão a respeito da guarda de Bruninho para posteriormente entrar com um pedido de indenização.

Atualmente, Bruninho mora com a mãe de Eliza em Mato Grosso do Sul, mas Luiz Carlos Samúdio, pai de Eliza, luta na Justiça para ficar com a criança. Eliza teria sido morta porque levou adiante a gravidez de Bruninho, contrariando a vontade do ex-goleiro Bruno. O último local em que ela foi vista viva foi no sítio que agora está à venda, disseram testemunhas no processo de investigação do caso. Houve suspeitas de que Eliza teria sido enterrada no sítio, mas a polícia não localizou o corpo dela até hoje.

Dayanne Souza, esposa do ex-goleiro do Flamengo, pretende ficar com metade do valor decorrente da venda do sítio. O advogado dela, Francisco Simin, nega qualquer impedimento legal para que o sítio seja negociado. É ele quem trata da negociação de venda e, para isso, divulgou seu telefone de contato nos anúncios divulgados nos jornais.

“Nesta quarta-feira teremos uma proposta formal. O imóvel está avaliado em R$ 1,2 milhão, mas podemos fechar negócio em torno de R$ 800 mil.” Simin também negou que Dayanne esteja passando por dificuldades financeiras e explicou que a venda do sítio faz parte de um processo de partilha de bens, já que ela está em processo de separação de Bruno.

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais e o Ministério Público do Estado informaram, por meio de suas assessorias de imprensa, que não há impedimento legal que impeça a negociação do sítio em Esmeraldas. O ex-goleiro do Flamengo está preso na penitenciária de segurança máxima Nelson Hungria, em Contagem, na Grande Belo Horizonte, juntamente com outros três supostamente envolvidos no desaparecimento de Eliza Samúdio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.