Após advogado, delegado do caso Bruno também quer ser vereador

Primeiro foi Ércio Quaresma, ex-advogado do goleiro. Agora é o delegado Edson Moreira quem busca vaga na Câmara de BH em 2012

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Agência Estado
O delegado Edson Moreira, chefe do DIHPP, durante entrevista sobre o caso Bruno, em 2010
Delegado responsável pelas investigações sobre o desaparecimento de Eliza Samudio, Edson Moreira quer ser candidato a vereador em Belo Horizonte no próximo ano, tendo como principal bandeira a segurança pública. Ele é a segunda pessoa ligada ao caso que pretende ingressar na carreira legislativa.

Leia a cobertura do caso do goleiro Bruno

Como o iG informou, o advogado Ércio Quaresma , outro envolvido no caso, também pretende disputar uma vaga na Câmara dos Vereadores da capital mineira. Quaresma defendeu Bruno Fernandes de Souza , ex-goleiro do Flamengo preso por envolvimento no desaparecimento de Eliza.

“Tenho muito chão pela frente. Eu já trabalho pelo povo, mas é preciso fazer leis mais fortes. Se eu for eleito, é o que vou fazer. As leis são fracas e o pessoal desrespeita. As leis precisam ser mais coercitivas. Os políticos só ficam discutindo cargo, não pode. A segurança é a minha bandeira mais forte. Precisamos melhorar as leis e acabar com a corrupção”, defende Moreira, que se filiou recentemente ao PTN. O delegado estava filiado ao PDT desde 2009, mas deixou a sigla porque, segundo ele, sente maior apoio no novo partido.

Às vezes as pessoas pedem para tirar foto comigo, e eu tiro”, conta o delegado

Moreira contou ao iG que profere palestras, visita escolas e tem boa aceitação no eleitorado. “Às vezes as pessoas pedem para tirar foto comigo, e eu tiro”, conta ele. Ele não quis comentar a candidatura de Ércio Quaresma que, filiado ao PV, também pretende disputar uma vaga de vereador, tendo como bandeira o combate ao uso de drogas - ele diz ter superado o vício em crack . Questionado sobre o motivo de ainda não ter se candidatado, já que tinha condições nas últimas eleições, o delegado disse que ainda não havia chegado o momento certo.

Puxador de votos

O presidente do PTN em Minas Gerais, o ex-vereador Wellington Magalhães, afirmou que Moreira é um nome respeitado e que todo partido deseja um candidato com este perfil. “Ele escolheu o PTN porque tem chances reais de ganhar. É um perfil bom para o partido. Teremos chapa completa com 19 mulheres e 44 homens. Queremos fazer 4 vereadores e cada um precisará de 4 mil votos”, contou.

Em relação à eleição majoritária, Magalhães disse que está no “projeto de Aécio Neves ” e, o que o senador mineiro pelo PSDB decidir, será seguido pelo PTN. “Se o Aécio apoiar o Marcio Lacerda (atual prefeito de Belo Horizonte), vamos apoiar. Estou no projeto Aécio Neves”, avisou.

Ele escolheu o PTN porque tem chances reais de ganhar. É um perfil bom para o partido. Teremos chapa completa com 19 mulheres e 44 homens. Queremos fazer 4 vereadores e cada um precisará de 4 mil votos”, diz presidente da sigla

O dirigente do PTN chegou a integrar o governo Antonio Anastasia (PSDB) como vice-diretor geral da Administração de Estádios do Estado de Minas Gerais (Ademg).

Em abril deste ano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou a cassação de seu mandato de vereador por acusação do Ministério Público Estadual de ter financiado alimentação de pessoas carentes em uma casa de assistência social para conseguir votos, em 2008.

Com a decisão do TSE, o ex-vereador entregou seu cargo no governo mineiro. "Afastei-me porque assumi a direção do partido. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Meu caso do TSE teve a ver com o mandato e eu não sou inelegível", afirmou Magalhães, que disputará também uma vaga na Câmara Municipal em 2012.

    Leia tudo sobre: edson moreiraércio quaresmagoleiro bruno

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG