Agente que fez vídeo de Bruno tem iniciais divulgadas

Agente prisional foi transferido para o setor administrativo de penitenciária e pode responder criminalmente por vídeo

Alessandra Mendes, especial para o iG |

A Subsecretaria de Administração Prisional de Minas Gerais já identificou o agente penitenciário que fez o vídeo, exibido na quinta-feira pelo SBT, onde o goleiro Bruno canta e fala sobre sua situação. As iniciais do agente são: R. C. R., que trabalha há três anos e meio no sistema prisional de Minas.

R. C. R. é ouvido nesta sexta-feira por representantes da corregedoria da Secretaria de Defesa Social do Estado. Ele vai esclarecer como fez as imagens e por quanto teria vendido o material. O que já foi divulgado é que o vídeo foi feito por uma câmera instalada em uma caneta ou relógio, usado pelo agente. Itens que a partir de agora não entram mais no setor de triagem da penitenciária, onde Bruno está preso.

O Subsecretário de Administração Prisional, Genílson Zeferino, relatou quais outras medidas estão sendo tomadas para evitar outros problemas do tipo. "A partir de agora somente 12 agentes vão trabalhar no pavilhão onde funciona o setor de triagem. Agentes que vão responder diretamente ao responsável pelo presídio. Além disso, os funcionários só podem usar o equipamento de segurança e o rádio de comunicação, nada de canetas ou relógios", afirmou Zeferino.

O Subsecretário reconheceu o erro, mas fez questão de frizar que trata-se de um evento pontual que está sendo apurado e o culpado será punido. "São mais de 530 agentes trabalhando em uma penitenciária de segurança máxima que hoje comporta pouco mais de 2 mil presos. Um deles cometeu um erro grave e será punido. A atitude é repudiada inclusive pelos próprios agentes penitenciários, que não admitem esse tipo de atitude ilícita entre eles".

O agente penitenciário R. C. R. foi transferido para o setor administrativo e tem cinco dias para apresentar sua defesa. A expectativa é que o processso seja concluído em dez dias. Caso seja provada a culpa do agente, ele terá o contrato rescindido e ainda pode responder criminalmente pelo ato.

    Leia tudo sobre: eliza samudiogoleiro brunomortedesaparecimento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG