Se condenado, defesa espera que Bruno fique só mais 6 meses em regime fechado

Por Ricardo Galhardo e Carolina Garcia - enviados a Contagem (MG) |

compartilhe

Tamanho do texto

Advogados de defesa esperam que o goleiro, se for condenado, pegue pena de nove a dez anos de prisão. Como já cumpriu mais de dois anos, ficaria preso por mais seis meses

A defesa do goleiro Bruno, acusado pela morte da ex-amante Eliza Samudio, calcula que a pena dele pode cair de 41 anos de prisão para nove ou dez anos, caso ele, no depoimento desta quarta-feira, ele consiga convencer os jurados e a juíza de que ele teve uma participação menor no crime. Com isso, Bruno, que já está há mais de dois anos preso, poderia deixar o regime fechado em apenas seis meses.

O dia:
Durante exibição de vídeo, mãe de Eliza sai chorando e Bruno evita olhar telão
"Ele era o patrão. Não saber de nada seria ingenuidade", diz advogado de Bruno
Testemunha da defesa, prima de Bruno muda versão e piora situação do goleiro
Dayanne afirma que primo de Bruno que levou Eliza Samudio voltou 'assustado'

Marcelo Albert/TJMG
O advogado Lúcio Adolfo, durante sessão do júri, ao lado da atual mulher de Bruno, Ingrid Calheiros

"Se a juíza Marixa mantiver a coerência em relação a pena aplicada a Macarrão, o Bruno pode pagar entre nove e dez anos", disse o advogado Lúcio Adolfo.

O defensor diz que vai trabalhar com três possibilidades diante dos jurados. A primeira é de absolvição; a segunda é de que o goleiro teria uma participação menor no crime; e a terceira é de derrubar as qualificadoras do crime, que são ocultação de cadáver e sequestro.

Ao longo do julgamento, a defesa de Bruno tem dado sinais de que o goleiro pode confessar, pelo menos parcialmente, sua participação no assassinato de Eliza. "Tudo vai depender de como o Bruno vai se comportar", disse Lúcio Adolfo.

Leia tudo sobre: goleiro brunojulgamentoeliza samudio

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas