"Ele era o patrão. Não saber de nada seria ingenuidade", diz advogado de Bruno

Por Ricardo Galhardo e Carolina Garcia - enviados a Contagem |

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-goleiro deve ser ouvido na tarde desta terça-feira no Fórum Criminal de Contagem (MG) sobre a morte de Eliza Samudio

É grande a expectativa para o interrogatório de Bruno Fernandes, previsto para a tarde desta terça-feira, no Fórum Criminal de Contagem, em Minas Gerais. Os advogados do ex-goleiro não descartaram novamente, nesta manhã, a possibilidade de ele revelar o que sabe sobre o crime. 

Leia mais sobre o Caso Bruno

“Bruno era o patrão. Ele quem em tese tinha dinheiro e sustentava esse monte de gente. Então falar que ele não sabia de nada seria muita ingenuidade. Ele acreditou que o Macarrão também seria homem de falar o que sabe. Isso são palavras do Bruno. E o Macarrão infelizmente não contribuiu", afirmou ao iG Tiago Lenoir, um dos advogados de defesa do ex-jogador.

Ainda de acordo com Lenoir, Bruno tem "conhecimento de detalhes do assassinato" e vai revelar estes detalhes. “No interrogaório ele vai falar. Vai ser um interrogatório bombástico. Ele vai falar o que ele sabe e o que teria visto. E ele sabe muita coisa.”

Lenoir evitou, no entanto , afirmar que Bruno vai confessar o crime. “Será uma surpresa até para a defesa.”

Nesta manhã, a mulher de Bruno, Ingrid Calheiros, também afirmou que Bruno vai falar toda a verdade.  “Ele [Bruno] vai contar tudo desde o início. O Bruno vai falar a verdade. Se a verdade doer...”, afirmou ao iG.

Leia tudo sobre: goleiro brunoeliza samudiocrime

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas