Advogado que representa a mãe de Eliza Samudio afirmou que existe proposta para que Bruno assuma a culpa pelo crime. Defesa do goleiro diz que não fará acerto com acusação

O advogado José Arteiro, que participa do julgamento do goleiro Bruno como assistente de acusação, por ser o representante da mãe de Eliza Samudio, Sônia Fátima Moura, afirmou nesta segunda-feira (04) que se o goleiro aceitar o acordo proposto pela acusação e assumir a culpa pela morte da ex-amante, sua pena pode cair de 35 anos para 18 anos de prisão.

Júri: Defesa tenta apressar julgamento para evitar pressão da mídia
Com cabeça baixa e chorando, Bruno ganha bíblia e é consolado pela mulher

O goleiro neste primeiro dia de julgamento no Fórum Criminal de Contagem (MG)
Renata Caldeira/TJMG
O goleiro neste primeiro dia de julgamento no Fórum Criminal de Contagem (MG)

Para que o acordo seja cumprido, o goleiro deveria assumir a responsabilidade pela morte de Eliza e não apenas dizer que outras pessoas foram responsáveis pelo crime. "Para ter acordo tem que ser bom para o dois lados", disse Arteiro em frente ao Fórum Criminal de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Segundo o advogado, as condições do acordo são que Bruno confesse sua total participação no homicídio, que ele cite quem foram o executores do crime e que dê alguma pista do que foi feito do corpo.

Leia mais sobre o Caso Bruno

Os advogados de defesa de Bruno negaram, até o momento, que um acordo com a acusação possa ser feito durante o julgamento. 

Após três meses, o ex-goleiro Bruno Fernandes e sua ex-mulher Dayanne Souza voltarm aos banco dos réus, após o julgamento ter sido desmembrado no fim do ano passado . Bruno responde pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver, enquanto Dayanne é acusada pelo sequestro e cárcere de Bruninho, filho do jogador com Eliza.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.