Juíza do caso Eliza Samudio permite retorno de dois advogados de Bola

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Marixa Fabiane Rodrigues aceitou o retorno dos defensores Ércio Quaresma e Fernando Magalhães. O ex-policial será julgado em março ao lado do goleiro Bruno e Dayanne

Futura Press
O réu Marcos Aparecido dos Santos, o Bola

Os advogados Ércio Quaresma e Fernando Magalhães podem voltar a defender o ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, no processo sobre o desaparecimento e morte da modelo Eliza Samudio. A juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues aceitou o retorno dos defensores, que abandonaram o caso no primeiro dia de julgamento, em 19 de novembro.

Em dezembro: Goleiro Bruno comemora 28 anos ao lado de noiva na prisão

Relembre: “Obrigado, doutor!”, diz Macarrão a promotor após leitura da sentença

No entanto, a magistrada manteve a multa estabelecida em pelo menos 30 salários mínimos para  cada defensor pelo abandono do júri. A decisão deve ser publicada no Diário do Judiciário nesta terça-feira (15). O goleiro Bruno, sua ex-mulher, Dayanne Rodrigues, e Bola, serão julgados em março de 2013. Ainda não há informações se o defensor Zanone de Oliveira, que também integrava a equipe de advogados de Bola, irá retornar ao caso. 

Leia todas as notícias do Caso Bruno

A primeira fase do julgamento que apura a responsabilidade no sequestro, homicídio e ocultação de cadáver da modelo Eliza Samudio terminou com as condenações de Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, e Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada do goleiro Bruno Fernandes, acusado de ser o mandante do assassinato.

Saiba tudo sobre o julgamento
1º dia: Desgastante, primeiro dia de julgamento do caso Bruno é pouco produtivo
2º dia: Decisão de Bruno e denúncia de promotor surpreendem no 2º dia de julgamento
3º dia: Depoimento de Macarrão encerra o dia mais longo do julgamento
4º dia: Fernanda assume ter mentido ao depor e diz que não via Eliza como rival
5º dia: Macarrão pega 15 anos de prisão por morte de Eliza. Fernanda responde livre

Após duas horas na sala secreta, os sete jurados deram o veredito que condenou Macarrão a 15 anos de prisão com por homicídio, sequestro e cárcere privado. Já Fernanda, acusada de sequestro e cárcere de Eliza e Bruno, foi condenada pelos dois crimes e teve pena de 5 prisão, mas irá recorrer em liberdade.

*com O Dia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas