Acusado de matar primo do goleiro Bruno confessa crime

Na audiência de instrução que apura o homicídio de Sérgio Rosa Sales, Alexandre Ângelo de Oliveira confessou ter atirado na vítima, alegando que ele assediava sua mulher

O Dia |

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) informou, na noite desta segunda-feira (10), que Alexandre Ângelo de Oliveira, 28 anos, suspeito de assassinar Sérgio Rosa Sales, 24 anos, primo do goleiro Bruno , cofessou o crime. Na audiência de instrução do processo que apura o homicídio de Sérgio, Alexandre confessou ter atirado na vítima, alegando que ele assediava constantemente sua mulher.

Denilza Cezário da Silva também foi ouvida e confirmou ter contado ao namorado que foi abordada por Sérgio. Oito testemunhas fora m ouvidas e três dispensadas. Entre elas, cinco de acusação e três de defesa. Nos próximos dois dias, defesa e acusação devem apresentar alegações finais e o TJMG vai decidir se os acusados vão a júri popular.

Futura Press
Sérgio Rosa Sales, primo do ex-goleiro Bruno

Entenda o caso

A possibilidade de o jovem ter sido vítima de queima de arquivo, por ser uma das testemunhas no julgamento do desaparecimento da modelo Eliza Samudio, já havia sido descartada pela Polícia Civil de Minas Gerais.

Em depoimento, o casal contou detalhes do assassinato. No dia anterior ao crime, Denilza foi abordada por Sérgio quando passava em frente à sua casa. Ele teria abaixado a calça e tentado apalpar suas partes íntimas. Ao voltar do trabalho, a cozinheira teria encontrado Sérgio novamente, que repetiu o assédio.

No dia seguinte, 22 de agosto, Ângelo utilizou sua motocicleta para seguir Denilza até o trabalho. Sérgio teria se aproximado dela novamente, mas fugiu ao perceber a presença do homem. Ângelo perseguiu o jovem, que foi atingido por seis tiros.

Desaparecimento e morte de Eliza Samudio

A modelo paranaense Eliza Samudio teve um caso com o ex-goleiro do Flamengo. Depois de engravidar, afirmou que o pai da criança era Bruno. De acordo com a investigação da Polícia Civil, para se livrar das cobranças, Bruno teria planejado o assassinato de Eliza, então com 25 anos. A criança nasceu em 2010. A vítima foi sequestrada em 4 de junho de 2010 na Barra da Tijuca. Dormiu na casa de Bruno no Recreio dos Bandeirantes e chegou ao sítio em Minhas Gerais dia 6. Ela teria sido assassinada no dia 10 do mesmo mês.

Em novembro, foram julgados Luiz Henrique Romão, o Macarrão, amigo do atleta, e Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada do jogador. O advogado do ex-policial civil Marcos Aparecido Santos, o Bola, Ércio Quaresma, deixou o júri e seu cliente será julgado separadamente. Dayanne Souza, ex-mulher de Bruno, também teve seu julgamento adiado após o advogado que a defendia ser solicitado pelo ex-goleiro do Flamengo. Já este foi o terceiro a ter o julgamento adiado, após uma manobra da defesa. Eles serão julgados no dia 4 de março de 2013, junto com Wemerson Marques, o Coxinha, e Elenilson Vitor.

    Leia tudo sobre: sérgio rosa salesgoleiro brunocaso bruno

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG