'Fernanda segue sua vida normalmente', diz advogada após pena em regime aberto

"Faltava era a gente enfrentar o júri e fizemos isso com dignidade. Ela sai daqui hoje de cabeça erguida", diz a advogada após sua cliente ser condenada a cinco anos de prisão

Carolina Garcia - enviada a Contagem (MG) | - Atualizada às

Sorridente, a advogada de Fernanda de Castro, ex de Bruno Fernandes e condenada a cinco anos de prisão por sequestro e cárcere de Eliza Samudio , deixou o Fórum Criminal de Contagem com sentimento de vitória. “O resultado já era esperado com tanto tumulto, exposição de jurados e intransigências da Justiça. No entanto, nada muda na vida da Fernanda. Ela segue sua vida normalmente”, disse a defensora Carla Silene. Fernanda deixou o fórum sem falar com a imprensa e ainda sem previsão para voltar ao Rio de Janeiro. Defesa irá recorrer da decisão.

Saiba tudo sobre o julgamento
1º dia: Desgastante, primeiro dia de julgamento do caso Bruno é pouco produtivo
2º dia: Decisão de Bruno e denúncia de promotor surpreendem no 2º dia de julgamento
3º dia: Depoimento de Macarrão encerra o dia mais longo do julgamento
4º dia: Fernanda assume ter mentido ao depor e diz que não via Eliza como rival

Futura Press
Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada do goleiro Bruno

Carla garante que a rotina da acusada não mudará. Ela continuará trabalhando no escritório de advocacia da região de Campo Grande, no Rio, e com o mesmo sonho de carreira na área de direito. “Nossa grande vitória começou em 2010, quando ela não foi indiciada por homicídio. O que faltava era a gente enfrentar o júri e fizemos isso com dignidade. Ela sai daqui hoje de cabeça erguida.”

Leia também:  “Obrigado, doutor!”, diz Macarrão a promotor após leitura da sentença

A advogada já afirmou que entrará com recurso e irá recorrer da decisão na Justiça. “Ela precisa ter sua ficha limpa. Com a condenação de hoje, ela tem sua folha de antecedentes criminais manchada. É um direito dela de lutar contra isso”.

A advogada ainda riu ao ser questionada sobre o pedido de Bruno para que ela passasse a ser sua advogada. “Hoje o doutor Bruno está muito bem representado por novos advogados, não estou entre eles. Ele me pediu isso porque estava inseguro. Sou a única advogada que acompanha o processo desde o início, deve ter despertado alguma segurança nele.”

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG