Julgamento entra na fase final com 9h de debates entre acusação e defesa

Depois de quatro dias polêmicos, a expectativa é que a leitura da sentença dos réus seja realizada após as falas das partes

Carolina Garcia enviada a Contagem (MG) | - Atualizada às

Depois de quatro dias polêmicos, o Tribunal do Júri do Caso Bruno chega a fase final com nove horas de debate entre a promotoria do Ministério Público e defensores de Macarrão e Fernanda de Castro. O momento mais aguardado do dia é a leitura da sentença dos réus, que deve ser realizada após as falas das partes. Após duas horas e meia de atraso por causa de problemas técnicos no sistema de som do fórum, a sessão foi iniciada com o promotor Henry Vagner de Vasconcelos, que terá duas horas e meia para convencer os jurados com suas argumentações.

Saiba tudo sobre o julgamento:

1º dia: Desgastante, primeiro dia de julgamento do caso Bruno é pouco produtivo
2º dia: Decisão de Bruno e denúncia de promotor surpreendem no 2º dia de julgamento
3º dia: Depoimento de Macarrão encerra o dia mais longo do julgamento
4º dia: Fernanda assume ter mentido ao depor e diz que não via Eliza como rival

Carolina Garcia
Magistrados e Macarrão aguardam início do quinto dia de julgamento em Contagem (MG)

Em seguida será a vez da defesa dos acusados. Leonardo Diniz e Carla Silene, advogados de Macarrão e Fernanda, respectivamente, terão o mesmo período para minimizar a participação dos réus no crime. Caso o Ministério Público peça réplica, a acusação ganha mais duas horas para argumentação e a tréplica é automática para a defesa, que passa a ter outras duas horas – totalizando nove horas de debates.

Sentença

Com o fim dos debates, o corpo de jurados é levado para sala secreta, onde respondem quesitos preparados pela juíza Marixa Fabiane Lopes. Eles decidem o futuro dos réus com respostas entre “sim” ou “não” e se há atenuantes nos crimes que eles respondem. Cabe a magistrada ainda solucionar qualquer dúvida do júri. Não há uma previsão nem limite de tempo para que seja dado o veredito.

Leia também:  Fernanda mentiu e contradições serão expostas no plenário, diz promotor

No processo, Luiz Henrique Romão, o Macarrão, responde por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado e ocultação de cadáver. Já Fernanda Gomes é acusada pelo sequestro e cárcere privado de Eliza e do filho Bruninho, quando tinha quatro meses. Ambos negaram os crimes durante a fase dos interrogatórios.

    Leia tudo sobre: caso brunogoleiro brunojulgamentoeliza samudio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG