Reportagem do iG provoca reforço de segurança dos jurados

Além de três oficiais, que antes atuavam em esquema de revezamento, outros quatro oficiais de Justiça e dois PMs foram incorporados à segurança

Carolina Garcia - enviada a Contagem (MG) | - Atualizada às

Após o iG noticiar com exclusividade a rotina dos setes jurados que irão decidir o destino de Macarrão e Fernanda Gomes, ex-namorada do goleiro Bruno, o Contagem Centro Hotel teve a segurança reforçada na madrugada desta quinta-feira. A reportagem mostrou a segurança frágil e os momentos de abandono do corredor do 2º andar, onde os quartos do júri estão localizados . Nas últimas horas, o local que antes era ocupado por três oficiais, em esquema de revezamento, foi reforçado com quatro oficiais de Justiça e dois PMs.

Leia também:  Após reportagem do iG, TJ diz que juíza autorizou telefonemas de jurados

Ao chegar aos quartos onde está hospedada, por volta das 5 horas da manhã, a reportagem do iG foi abordada por um agente da Polícia Militar, que disse estar surpreso ao ver que os repórteres não haviam sido transferidos de quarto. “Vocês continuam por aqui? Falaram que vocês seriam transferidos”, disse com tom de desconfiança.

Apesar do maior zelo do Tribunal de Justiça pela segurança e blindagem do corpo de jurados, as falas de indignação dos oficiais contra a reportagem na manhã de hoje ultrapassaram as paredes dos quartos.

“É um absurdo, nessas horas dá vontade de...”, disse sem concluir uma das oficiais ao comentar a reportagem com os colegas. Para alguns, a liberdade de imprensa teria que ser revista e “só assim tais matérias não seriam publicadas”. “Não há ética”, rebateu outra oficial em alto tom de voz. 

    Leia tudo sobre: goleiro bruno

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG