Ministro Joaquim Barbosa considerou que pedido de habeas corpus da defesa não trouxe novidades. Bruno aguarda julgamento pelo assassinato de Eliza Samudio em Minas Gerais

Agência Estado

Ex-goleiro Bruno Fernandes
AE
Ex-goleiro Bruno Fernandes

O Supremo Tribunal Federal (STF) negou pela segunda vez o pedido de habeas corpus feito pela defesa do ex-goleiro Bruno Fernandes para que o jogador possa aguardar em liberdade o júri popular pelo assassinato de sua ex-amante, Eliza Samudio.

Leia tudo sobre o Caso Bruno

Na decisão, proferida na quinta-feira passada e publicada nesta segunda-feira, o ministro Joaquim Barbosa considera que a solicitação do advogado de Bruno não traz novidades em relação à recusada anteriormente.

"Não há nada a prover, haja vista que a petição em referência em nada inova na matéria ventilada na peça inicial, permanecendo inalterado, portanto, o quadro fático-jurídico que motivou a Vice-Presidência deste Tribunal a indeferir o pedido de liminar", afirmou o relator do processo em seu despacho.

Leia últimas notícias do caso: 

MP-RJ recorre ao STJ contra redução da pena de Bruno no sequestro de Eliza
Bombeiros encerram buscas por vestígios de Eliza Samudio em sítio em MG
Casal é preso por assassinato de primo do goleiro Bruno em Belo Horizonte

Com a decisão, Bruno continua aguardando seu julgamento na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem (MG). Ele é acusado de ser o mandante do sequestro, por cárcere privado, assassinato e ocultação de cadáver de Eliza. O último pedido de habeas corpus havia sido feito em 30 de dezembro do ano passado. A liminar ainda será julgada pelo colegiado do STF.

*com AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.