Justiça do Rio reconhece que goleiro Bruno é pai do filho de Eliza Samudio

Com a decisão, criança passa a se chamar Bruno Samudio de Souza

iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

A 1ª Vara de Família do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ)  reconheceu o filho de Eliza Samudio, Bruno Samudio, chamado de Bruninho, como sendo filho legítimo do goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza, que está preso há dois anos suspeito de ser o mandante do desaparecimento de Eliza.

Leia o especial sobre o caso Bruno

A decisão foi publicada no último dia 12, no Diário Oficial do TJ-RJ. De acordo com a Justiça, com a decisão, o menino passa a se chamar Bruno Samudio de Souza.

Entenda o caso

Eliza teve um caso com o ex-goleiro do Flamengo. Depois de engravidar, afirmou que o pai da criança era Bruno. De acordo com a investigação da Polícia Civil, para se livrar das cobranças, Bruno teria planejado o assassinato de Eliza. A criança nasceu em 2010.

Ele e outras oito pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público de Minas Gerais pela acusação de envolvimento no desaparecimento e morte da modelo. A Justiça mineira aceitou a denúncia e decretou a prisão preventiva de todos.

No entanto, continuam presos Bruno, o amigo Luiz Henrique Romão (conhecido como “Macarrão”), Sérgio Rosa Sales (primo de Bruno) e o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola. Eles vão a júri popular pela morte da modelo. Os três primeiros vão responder por sequestro e cárcere privado, homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Já o ex-policial, por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Os outros denunciados - Dayanne Souza (ex-mulher de Bruno), Fernanda Gomes de Castro, Elenílson Vítor da Silva e Wemerson Marques, o “Coxinha” - estão soltos e respondem ao processo de homicídio de Eliza em liberdade.

De acordo com a investigação da Polícia Civil, partes do corpo de Eliza foram entregues para cachorros e os ossos da vítima, concretados no mesmo terreno em que ela teria sido assassinada, um sítio em Esmeraldas (MG), propriedadede Bruno. Nada foi encontrado até hoje.

A advogada da mãe de Eliza, Maria Lúcia Borges, que também atua no processo criminal contra o ex-goleiro e outros oito acusados, disse não ter dúvidas de que serão todos condenados. "Por mais que não tenham encontrado o corpo de Eliza, há provas suficientes que não deixam dúvidas de que ela foi brutalmente assassinada. A Justiça será feita", concluiu.

    Leia tudo sobre: Goleiro BrunoEliza Samudio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG