FMI: origem da crise grega é a falta de competitividade no país

A crítica situação em que está a Grécia não se deve ao nível de sua dívida, mas sim à falta de competitividade, ao seu isolamento econômico e ao seu sistema fiscal em pedaços, disse nesta terça-feira o diretor interino do Fundo Monetário Internacional (FMI), John Lipsky.

AFP |

A crítica situação em que está a Grécia não se deve ao nível de sua dívida, mas sim à falta de competitividade, ao seu isolamento econômico e ao seu sistema fiscal em pedaços, disse nesta terça-feira o diretor interino do Fundo Monetário Internacional (FMI), John Lipsky."A questão crucial da economia grega é a falta de competitividade, que tem sido afetada por resultados ruins", disse Lipsky em Berlim, ao fim de uma reunião sobre a crise grega com a chanceler alemã Angela Merkel.Para Lipsky, a base do sistema fiscal está ruim, mas isso significa que ela poder ser reparada. "Não é difícil de se controlar, é uma questão de vontade política", disse o responsável pelo FMI, que falou na Academia Americana da capital alemã.Lipsky estima que a economia grega não conseguiu se aproveitar da participação na Zona Euro e que por isso se encontra numa realidade isolada."Teoricamente, os gregos estão dentro do mercado único, mas na prática têm sido deixados de fora. O percentual de suas exportações no Produto Interno Bruto (PIB) é a mais baixa da Zona Euro", concluiu.stu/wm

    Leia tudo sobre: GréciapolíticaeconomiaUEFMI

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG