Protesto marca a primeira noite da Flip

Manifestantes pedem aumento da verba pública para a educação

Valmir Moratelli, enviado especial a Paraty (RJ) |

Um protesto de professores grevistas quase acabou em tumulto na primeira noite da nona edição da Flip . Na noite de quarta-feira (dia 6), quando Antonio Candido falava sobre o homenageado da Flip 2011, Oswald de Andrade, cerca de cem manifestantes fecharam a rua principal onde se localiza a tenda dos autores, onde acontecem os debates.

Com cartazes como "Educação é prioridade", estudantes e professores da rede estadual de ensino fizeram barulho e atrairam atenções. Aos gritos de "professor é meu amigo / mexeu com ele, mexeu comigo", o grupo foi acompanhado de perto por dois carros da polícia militar. Um caixão simbólico representava o "enterro da educação".

Péter Esterházy, escritor húngaro que participa da Flip no próximo sábado, chegou a tirar fotos da passeata. "Toda forma de expressão é bem-vinda, não tem como negar que isso é democracia também", disse.

Os manifestantes prometem novas passeatas pelas ruas do centro histórico da cidade ao longo do evento.

    Leia tudo sobre: flipliteraturalivro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG