Musa da Flip, Pola Oloixarac diz: "Não faço questão de ser feia"

Dona de um gato chamado Gmail, a escritora argentina rouba as atenções em Paraty com sua beleza e simpatia

Valmir Moratelli, enviado especial a Paraty (RJ) |

As cinzas do vulcão chileno Puyehue quase impediram que Pola Oloixarac chegasse a Paraty. Seu voo foi atrasado em um dia. A argentina, atualmente morando em Bariloche, está na Flip para divulgar seu primeiro livro "As Teorias Selvagens". Ela chega tímida para a coletiva de imprensa, escondida em par de óculos e echarpe. O sorriso demora a surgir. "Estou encantada com a cidade, mas reconheço que não esperava tanto frio", diz, encasacada.

Beto Lima
Pola Oloixarac, na Flip 2011

É o primeiro livro estrangeiro traduzido para o português para ser lançado em versão digital ainda inédito. Por isso mesmo, o uso de tecnologias é o assunto preferido de Pola - tanto em seu livro como também nas conversas informais. Formada em filosofia, a argentina de 33 anos se mostra cuidadosa com a fama repentina no evento em Paraty, a de que é a "musa da Flip".

Ela ri quando lhe perguntam sobre isso. E diz que não se imagina feia. "Se me acho bonita? Nunca sofri preconceito por isso, mas sinto que há sim por ser jovem e mulher. Beleza é uma questão pessoal, mas ser mulher é mais amplo. Nem por isso vou me enfeiar. Não faço questão de ser feia", afirma.

Fã de gatos (ela tem um chamado "Gmail"), de orquídeas (tema de seu próximo romance) e de futebol, Pola só deixa a cordialidade de lado quando é questionada se Messi finalmente vai fazer a diferença na Copa América. "Tomara que desencante", ri. Na sexta-feira (dia 8), ela participa do debate "Pontos de fuga" ao lado do angolano valter hugo mãe.

Novas tecnologias
"Acho estupendo que tenhamos esta capacidade de modificar o tempo todo. Penso muito nestas novas formas de se comunicar. Meus personagens dialogam com as inovações tecnológicas porque são contemporâneos e isso é fundamental para que se estabeleça uma crítica ao império do Google, ao império que vivenciamos hoje em dia e ainda não nos demos conta de seus efeitos em nossas vidas".

Beto Lima
Pola Oloixarac durante entrevista na Flip 2011

Vulcão chileno
"Quase boicotei a Flip em protesto, pelas fumaças do vulcão chileno. Mas consegui chegar a tempo (risos)!"

Cuidado com aparência
"Fico um pouco incômoda com tanta fotografia, me sinto mais à vontade conversando do que fazendo poses. Se me acho bonita? Nunca sofri preconceito por isso, mas sinto que há sim por ser jovem e mulher. Beleza é uma questão pessoal, mas ser mulher é mais amplo. Nem por isso vou me enfeiar. Não faço questão de ser feia, não (risos)".

Musa da Flip
"Acho que tem a ver com a questão de ser mulher latina, temos uma sofisticação natural. A brasileira, por exemplo, é tão tímida e insegura ao mesmo tempo que mostra sua força... Percebo isso claramente".

Quebrando tabus
"Estamos num momento que nos obriga a avançar em algumas discussões, mais do que querer. É uma obrigação mesmo. Precisamos, a meu ver, reformar a causa feminista para lutar por total liberdade às mulheres. Temos que avançar, porque ainda somos subservientes a uma posição inferior no mundo. É nisso que devemos nos concentrar neste momento atual".

Futebol argentino
"É claro que acompanho futebol, mas a nossa seleção não vai nada bem... Tomara que o Messi desencante. Sei que o Brasil é sempre favorito. O técnico ainda é o Dunga? Ah, é o Mano (Menezes)? E ele é bom? Espero que não seja tanto assim (risos).

Próximo livro
"Alguns sabem que sou encantada com orquídeas. Tive que deixar as minhas em casa, porque não deixaram que eu entrasse com elas no avião (risos). Meu próximo livro vai falar um pouco dessa relação com as flores. Tenho até algumas espécies brasileiras também, são belíssimas".

    Leia tudo sobre: flippola oloixarac

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG