Flip entre academia e briga por ingressos

Festa literária em Paraty começa com homenagem a Freyre e lugares esgotados

Marco Tomazzoni, iG São Paulo |

Divulgação/Walter Craveiro
Montagem da Tenda dos Autores, espaço principal da Flip, às margens do rio Perequê-Açu
A Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip, que começa hoje, vive uma contradição curiosa. Ao mesmo tempo em que homenageia o primeiro escritor de não-ficção de sua história, o sociólogo Gilberto Freyre, responsável por rechear a programação com mesas e debates com acadêmicos – o que não é necessariamente garantia de público –, o evento registrou recorde de venda de ingressos, com 24 mil entradas em apenas dois dias.

Essa corrida desenfreada não chega a ser novidade, já que todos os anos se enfrentam filas e sites congestionados para conseguir um lugar naquela é que tida como a mais importante vitrine da literatura no país. Hotéis e pousadas, como de praxe, estão esgotados há semanas e a cidade histórica se prepara para ver suas calçadas e ruas estreitas lotadas até domingo.

Parte desse furor, claro, se deve à participação de convidados com apelo popular, como o cartunista Robert Crumb e a best-seller Isabel Allende , mas um deles, talvez o principal, pulou fora do barco: o compositor Lou Reed alegou "motivos particulares" para não vir de Nova York. Fica, então, a dúvida se a Flip vai conseguir corresponder às expectativas de tanta gente.

A conferência de abertura, nesta quarta-feira, será apresentada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, e tem como tema Casa-grande & Senzala , a obra mais famosa de Freyre. Edu Lobo e a rabequeira Renata Rosa fazem show na sequência. Além das mesas de Crumb, que conversa com Gilbert Shelton, outro expoente dos quadrinhos underground , e de Allende, com o inédito A Ilha Sob o Mar na bagagem, outra estrela deste ano é o anglo-indiano Salman Rushdie, de volta à Paraty após cinco anos. Ele faz na cidade histórica o lançamento mundial da aventura teen Luka e o Fogo da Vida , que chega às lojas britânicas e norte-americanas apenas em novembro.

Outros momentos esperados são as mesas do historiador norte-americano Robert Darnton, diretor da biblioteca da Universidade de Harvard, e de John Makinson, da Penguin Books, sobre o futuro do livro; do britânico Terry Eagleton, contraponto à discussão sobre fé iniciada pelo ateu Richard Dawkins no ano passado; e as discussões a respeito da obra de Freyre, com curadoria de Maria Lucia Pallares-Burke . A Flip também vai sediar o lançamento de um livro inédito do sociólogo, De Menino a Homem , e contará com uma exposição de material cedido pela Fundação Gilberto Freyre, nunca visto pelo público.

Na tarde de sábado, o poeta Ferreira Gullar, prestes a completar 80 anos, lerá alguns poemas de seu livro inédito, Em Alguma Parte Alguma , o primeiro em mais de uma década, e falará sobre sua carreira. No total, são 35 convidados ( conheça quem são eles aqui ). No lugar de Lou Reed, entraram duas novas atividades: uma homenagem aos 80 anos do primeiro livro de a Carlos Drummond de Andrade, Alguma Poesia , e uma pré-estreia do documentário José & Pilar , que enfoca a relação de José Saramago e sua mulher. A sessão será apresentada pelo diretor português Miguel Gonçalves Mendes.

Os ingressos para a Tenda Principal estão esgotados, mas ainda é possível comprá-los em Paraty para a Tenda do Telão, onde os debates são transmitidos ao vivo, para todas as mesas, a não ser as de Rushdie e Allende. A programação paralela, disponível no site oficial , também é farta. A movimentada Flipinha, dedicada às crianças, ferve com a presença de escolas da região de Paraty e traz diversos autores, como Eva Furnari, Adriana Falcão e Alina Perlman.

Pelo segundo ano, a Flipzona tem atividades específicas para o público jovem, enquanto a Casa de Cultura abriga boa parte das homenagens à Freyre. Mas há exceções, como o bate-papo com o escritor William Gordon, marido de Allende, e a projeção de Ironweed , dirigido por Hector Babenco a partir do romance homônimo de William Kennedy, convidado desta edição. A Off Flip, organizada de forma independente do evento oficial, abrange um leque mais variado de temas e promete provocar polêmica em um encontro sobre a abordagem de gays e lésbicas na literatura infanto-juvenil .

Confira abaixo a programação principal completa:

Quarta-feira (04/07)

19h: abertura
"Casa-grande e Senzala: um livro perene"
Fernando Henrique Cardoso
debatedor: Luiz Felipe de Alencastro

21h30: Show de abertura
Edu Lobo e Renata Rosa, com Marcelo Jeneci e Quarteto de Cordas da Academia da Osesp
direção artística: Arthur Nestrovski

Quinta-feira (05)

10h: mesa 1
"Ao correr da pena"
Moacyr Scliar
Ricardo Benzaquen
Edson Nery da Fonseca
mediação: Ángel Gurría-Quintana

12h: mesa 2
"De frente pro crime"
Patrícia Melo
Lionel Shriver
mediação: Arnaldo Bloch

15h: mesa 3
"Fábulas contemporâneas"
Reinaldo Moraes
Ronaldo Correia
de Brito
Beatriz Bracher
mediação: Cristiane Costa

17h15: mesa 4
"Veias abertas"
Isabel Allende
mediação: Humberto Werneck

19h30: mesa 5
"O livro: capítulo 1"
Peter Burke
Robert Darnton
mediação: Lilia Schwarcz

Sexta-feira (06)

10h: mesa 6
"O livro: capítulo 2"
Robert Darnton
John Makinson
mediação: Cristiane Costa

12h: mesa 7
"Além da Casa-grande"
Alberto da Costa e Silva
Maria Lucia P. Burke
Angela Alonso
mediação: Lilia Schwarcz

15h: mesa 8
"Chá pós-colonial"
William Boyd
Pauline Melville
mediação: Ángel Gurría-Quintana

17h15: mesa 9
"Promessas de um velho mundo"
A.B. Yehoshua
Azar Nafisi
mediação: Moacyr Scliar

19h30: mesa 10
"Em nome do filho"
Salman Rushdie
mediação: Sílio Boccanera

Sábado (07)

10h: mesa 11
"Andar com fé"
Terry Eagleton
mediação: Silio Boccanera

12h: mesa 12
"Albany, Nova York e outras aldeias"
Colum McCann, William Kennedy
mediação: Ángel Gurría-Quintana

15h
leitura, "Alguma poesia"
Chacal, Antonio Cicero, Ferreira Gullar, Eucanaã Ferraz

17h15: mesa 13
"Gullar, 80"
Ferreira Gullar
mediação: Samuel Titan Jr.

19h30: mesa 14
"A origem do universo"
Robert Crumb, Gilbert Shelton
mediação: Sérgio Dávila

21h45: filme José & Pilar
Trechos de documentário inédito sobre José Saramago, de Miguel Gonçalves Mendes, seguidos de conversa com o diretor
mediação: Arthur Dapieve

Domingo (08)

9h30:
mesa Zé Kléber

11h45: mesa 16
"Gilberto Freyre e o século 21"
José de Souza Martins
Peter Burke
Hermano Vianna

14h30: mesa 17
"Cartas, diários e outras subversões
Wendy Guerra
Carola Saavedra
mediação: João Paulo Cuenca

16h30: mesa 18
"Nacional, estrangeiro"
Benjamin Moser
Berthold Zilly
mediação: Claudiney Ferreira

18h15: mesa 19
"Livro de cabeceira"
convidados da Flip lêem trechos de seus livros prediletos

    Leia tudo sobre: Flipfesta literáriaParatyliteratura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG