Flip aborda a violência política latino-americana

Ditaduras e ações colombianas serão discutidas em mesas do evento que começa nesta quarta

EFE |

O reflexo das ditaduras latino-americanas e da violência política colombiana nas letras da região será abordado durante a programação da Flip 2011 , que começa nesta quarta-feira (6 de julho).

O festival, considerado uma referência no circuito cultural da América Latina, reunirá durante os próximos cinco dias cerca de 30 autores de 13 países em torno de 18 mesas de discussões literárias. A nona edição do evento será dedicada ao dramaturgo brasileiro Oswald de Andrade, morto em 1954, por sua contribuição ao modernismo do país depois da publicação do "Manifesto Antropófago" (1928).

Divulgação
A escritora colombiana Laura Restrepo

As dissertações dos escritores serão acompanhadas pelos amantes da literatura que visitam a Festa Literária. O autor italiano Antonio Tabucchi cancelou sua participação em protesto pela decisão do governo brasileiro de não extraditar Césare Battisti, condenado na Itália a prisão perpétua por quatro assassinatos.

A lista de convidados da Flip, por onde já passaram escritores como Orhan Pamuk, Isabel Allende e Eric Hobsbawm, é liderada pelos colombianos Laura Restrepo e Héctor Abad Faciolince, que no próximo domingo discutirão as ditaduras latino-americanas e a violência política na Colômbia.

Restrepo, autora do premiado romance "Delírios", se exilou no México e na Espanha depois das ameaças de morte que recebeu nos anos 1980 por sua aproximação ao então movimento guerrilheiro colombiano M-19. Em 2009, publicou sua última obra, "Heróis Demais", ambientada no regime ditatorial de Jorge Videla na Argentina da segunda metade da década de 1970.

O assassinato em 1987 do humanista colombiano Héctor Abad Gómez pelas forças paramilitares inspirou seu filho Héctor Abad Faciolince a escrever seu primeiro trabalho, "Somos o Esquecimento que Seremos", um romance no qual reflete a personalidade de seu pai e seus anos de luta em defesa dos direitos humanos.

A Flip começa na quarta-feira com uma conferência do professor José Miguel Wisnik e de Antonio Cândido, reconhecido crítico literário, sobre a obra e a personalidade de Oswald de Andrade. Haverá ainda um show de Elza Soares e Celso Sim.

Nos debates literários, acompanhados pelo público em telões e transmitidos ao vivo pela internet, estará o romancista brasileiro Ignacio de Loyola Brandão, que na próxima sexta-feira participará com o psicanalista Contardo Calligaris em um encontro para analisar as diferenças entre a crônica e o gênero de ficção.

O ensaísta americano James Ellroy esmiuçará um dia depois o clima de corrupção e violência racial que reflete em algumas de suas obras, que inspiraram clássicos longas-metragens como "Dália Negra" e "L.A. Confidential". Em paralelo à realização da Flip, a organização preparou uma programação alternativa que inclui projeção de filmes, exposições e atividades orientadas ao público infantil e juvenil com as quais se pretende estimular a leitura.

    Leia tudo sobre: Fliplivroliteratura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG