¿Solidão e Fé¿ viaja ao universo dos rodeios

Documentário de Tatiana Lohmann demora a descobrir um olhar menos ingênuo sobre mundo competitivo e masculino dos peões

Mariane Morisawa, especial para o iG |

Um filme chamado “Solidão e Fé” remete a religião. Mas o longa-metragem de Tatiana Lohmann, exibido para um cine Odeon bastante vazio na noite desta terça-feira (28), dentro da competição de documentários da Premiere Brasil do Festival do Rio, focaliza o mundo dos peões de boiadeiro.

A produção parte da investigação bastante pessoal da diretora sobre esse universo intensamente masculino, comparado por ela ao dos caubóis no Velho Oeste. Lá, há aqueles que ainda acham que obviamente as mulheres são inferiores aos homens. Tatiana começa o registro de maneira bem ingênua, mostrando o ambiente competitivo dos rodeios por meio de alguns dos maiores campeões.

É um olhar quase cândido, com narrações em primeira pessoa sobre suas descobertas, ilustradas por imagens em geral corretas. Ela só desperta para os verdadeiros bastidores dos rodeios, com histórias de perdas e disputas, quando a tragédia invade a sua obra – e, aí, acontece um abandono total dos personagens que eram o centro das atenções no início, levando o espectador a imaginar o que foi feito deles.

“Solidão e Fé” ressente-se de uma pesquisa prévia mais detalhada e de uma exploração mais apurada depois que o lado ruim vem à tona. O filme terá novas sessões nesta quarta (29) e na quinta (30).

    Leia tudo sobre: festival do riosolidão e fé

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG