Público lota cinema para ver Ana Paula Arósio em romance lésbico

A noite dessa quinta-feira também teve o argentino "Dois irmãos" e curta sobre maconha, no Cine Odeon

Luisa Girão e Valmir Moratelli, iG Rio de Janeiro |

No dia que o Festival do Rio completa uma semana, nessa quinta-feira (30), a premier do filme “Como esquecer”, de Malu de Martino , teve o maior público do Cine Odeon, no Festival do Rio, até o momento. Talvez pela curiosidade de ver Ana Paula Arósio, protagonista do filme, interpretando uma professora lésbica que, de forma sombria, tem de aprender a lidar com a perda de um amor.

“Estou nervosa. Hoje acordei às 05h da manhã e não consegui dormir mais. Fiquei andando de um lado para o outro”, afirmou ela, ainda que passou pelo tapete vermelho, rodeada de fotógrafos.

A atriz ainda comentou a importância desse personagem para a sua carreira. “Espero que esse filme diminua o preconceito em relação ao homossexualismo. Vejo em mim uma mudança antes e após o longa”, disse ela, que defende o casamento entre pessoas do mesmo sexo: “Acabei de casar (com o arquiteto Henrique Pinheiro), sou a favor do casamento em geral”.

Murilo Rosa, que também está no filme interpretando um gay, foi acompanhado da mulher, a modelo Fernanda Tavares. “Fico nervosa por ele porque, como todo o trabalho, se entregou totalmente ao personagem. Hoje, vou conhecer esse novo lado dele, mas só hoje!”, brincou Fernanda. Murilo comemorou a semana de estreias, já que também está no elenco da novela Araguaia, da TV Globo. “Está sendo uma semana de emoções. Estou ansioso para ver o filme, pois foi uma experiência muito bacana rodá-lo”, disse.

Antes do filme, foi exibido o curta-metragem “O Bolo”, primeira produção assinada por Robert Guimarães. Foi bastante aplaudido, ao contrário do que vinha acontecendo com outras produções do gênero.

Vez dos "hermanos"

Um pouco mais cedo, na sessão das 19h, a atriz argentina Graciela Borges brilhou ao lado do diretor Daniel Burman na apresentação do filme "Dois Irmãos" (Dos Hermanos, no original). Com um decote ousado, a diva do cinema lembrou da sua paixão pela música e dramaturgia brasileira.

"Quando filmei ‘Pubis angelical’, de Raúl de la Torre, eu corria para o hotel para ver ‘Água viva’ na TV. Sou apaixonada pelo país. Quando minha filha era pequena, eu eu sempre cantava músicas brasileiras de Dorival Caymmi para ela. Além de, há muito tempo, ter sido apresentada a Glauber Rocha, o que me deixou muito feliz", relembrou Graciela.

    Leia tudo sobre: festival do riocomo esquecerdois irmãosbolo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG