"Girimunho" bagunça definições de ficção e documentário

Filme de Helvécio Marins Jr. e Clarissa Campolina usa personagens reais para representar histórias de sua própria vida

Mariane Morisawa, especial para o iG |

Girimunho ”, da dupla mineira Helvécio Marins Jr. e Clarissa Campolina, foi à pequena São Romão, à beira do rio São Francisco, para garimpar a protagonista do filme: Bastú, que lida com a morte do marido, Feliciano, construindo fantasias. O longa participou da competição do Festival do Rio e estreia nesta sexta-feira (27) em circuito comercial.

Leia também: "Trabalhamos o tempo todo com limites", diz dupla de diretores ao iG

Divugação
Em “Girimunho”, dona Bastú passa a lidar com a morte do marido construindo fantasias
Os diretores, que estrearam o filme na mostra Horizontes do último Festival de Veneza, em setembro, alinham-se com a escola mineira de cinema fortemente influenciado pela videoarte, portanto muito calcado nas imagens.

Leia também: “Girimunho” leva sertão mineiro ao Festival do Rio

“Girimunho” também procura bagunçar as definições de ficção e documentário, colocando as próprias personagens para representar histórias reais e inventadas de sua vida. Nem sempre funciona e é bastante exigente com o público, mas, sem dúvida, trata-se de uma tentativa ousada.

Assista ao trailer de "Girimunho":

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG