Malu de Martino, diretora do filme, fala sobre as polêmicas levantadas por sua obra, que está na Mostra Competitiva do festival



Ana Paula Arósio, Murilo Rosa e outros integrantes do elenco do filme “Como esquecer” participaram nesta sexta-feira (1) de um debate sobre o longa no Centro Cultural da Ação e Cidadania, na Gamboa, Centro do Rio. Momentos antes da sessão, os atores conversaram com exclusividade ao iG sobre os seus personagens e como o filme pode ajudar na discussão sobre o homossexualismo – já que os personagens de Ana Paula e Murilo são gays.

Malu de Martino, diretora do filme, afirmou que abordar esse tema não foi o objetivo central. “Mas queríamos mostrar uma história de amor. Os gays sofrem tanto quanto um heterossexual, então ressaltamos essa dor da perda para que possam ver a similaridade, sem pensar no sexo”, disse. Natália Lage, que interpreta Lisa, concordou: “Não queremos levantar nenhuma bandeira do homossexualismo, mas mostrar que o amor é para todos”.

Ana Paula Arósio ressaltou a dramaticidade da sua personagem. “Talvez o que mais me tenha dado dificuldade e tesão em fazer a Julia é de trabalhar essa necessidade de às vezes ser forte e ter poucos momentos para se entregar a dor. A sexualidade da Julia não é o complicado dessa mulher, é só mais um aspecto. O que me deu muito mais trabalho foi chegar lá dentro e entendê-la”, afirmou.

Murilo Rosa contou que Hugo, seu personagem, usa o humor como escapatória para o sofrimento. “Ele é positivo, mas sem ser muito caricata. O filme fala sobre perdas, e não sobre opção sexual de cada um. Nos baseamos no conceito humano da coisa e não como é a visão de um cara que é homossexual. Poderia ser por ai, mas não queríamos seguir essa linha”, disse.

Assista à entrevista com a equipe do filme:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.