Daniel de Oliveira impressiona em ¿Boca do Lixo¿

Ator desaparece na pele do criminoso Hiroito de Moraes Joanides no filme de Flavio Frederico, que tem minuciosa reconstrução de época

Mariane Morisawa, especial para o iG |

Quantas caras pode ter um mesmo ator? Se for Daniel de Oliveira, muitas. Ele já viveu do roqueiro Cazuza a Frei Betto, sempre desaparecendo por trás do personagem. Agora, repete a façanha como o bandido Hiroito de Moraes Joanides em “Boca do Lixo”, de Flavio Frederico, último filme de ficção da competição da Premiere Brasil, exibido na noite deste sábado (2) no cine Odeon.

Hiroito foi um rapaz de classe média alta que começou a frequentar a Boca do Lixo, tradicional reduto de prostituição nos anos 1950 e 1960 em São Paulo. Depois que seu pai foi assassinado e Hiroito, acusado pelo crime, virou um dos criminosos mais procurados pela polícia pela exploração de tráfico de maconha e prostituição, além de cometer assassinatos.

O filme de ar levemente pop é todo estruturado em cenas interrompidas por lapsos de tempo, o que quebra um pouco a linearidade da história. “Boca do Lixo” recupera uma história paulistana pouco conhecida e faz um cuidadoso trabalho de reconstrução de uma São Paulo que não existe mais, com fotografia, direção de arte, figurino e maquiagem bem caprichados. Dá para perceber que sua ambição é um pouco maior do que a da grande parte dos concorrentes de ficção desta Premiere Brasil.

Mas, apesar do trabalho minucioso de Daniel de Oliveira, falta ao personagem na tela aquele algo a mais que faz a diferença entre ser um protagonista interessante e ser um protagonista inesquecível. O filme é exibido de novo neste domingo (3) e na segunda (4).

    Leia tudo sobre: festival do riodaniel oliveira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG