¿Bróder¿ é melhor filme brasileiro do ano

O longa-metragem de estreia de Jeferson De mostra o reencontro de três amigos de infância no Capão Redondo, periferia de São Paulo

Mariane Morisawa, especial para o iG |

É pena que “Bróder”, ganhador de prêmios nos festivais de Paulínia e de Gramado e exibido em sessão hors concours na noite deste domingo (3), no cine Odeon, não esteja na competição da Premiere Brasil. O longa-metragem de estreia de Jeferson De teria elevado o nível da competição, simplesmente porque é a melhor produção nacional de 2010, pelo menos até agora.

E ele até estaria inserido no contexto da competição deste ano, marcada pelas histórias de personagens e de relacionamentos. “Bróder” se passa no Capão Redondo, periferia de São Paulo, mas não é um “filme de periferia”. Macu (Caio Blat), Jaiminho (Jonathan Haagensen) e Pibe (Silvio Guindane) são amigos de infância, criados no bairro, com destinos diferentes. Enquanto Jaiminho é um bem-sucedido jogador de futebol na Europa e Pibe sua para melhorar de vida num apartamentinho no centro, Macu, o único branco dos três, continuou no mesmo lugar e agora está meio que envolvido com o crime.

Passado todo em um dia, o filme acompanha de perto os dramas e as memórias desses personagens ao mesmo tempo em que retrata bem a vida na periferia. Violência, racismo e falta de oportunidade fazem parte da paisagem desses personagens, mas não são tema nem discurso do longa-metragem. Com boas atuações e sequências bem filmadas – preste atenção na cena inicial, um passeio pelas quebradas do Capão Redondo –, “Bróder” vai atrás de suas ambições e, na maior parte do tempo, é bem-sucedido. As próximas sessões acontecem na terça (5).

    Leia tudo sobre: festival do riobróder

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG