Futuro é refletido em Berlim com internet e novas tecnologias

Kevin MacDonald faz filme com contribuições digitais do mundo todo, e duo sul-coreano dirige curta com iPhone

Mariane Morisawa, enviada especial a Berlim |

Divulgação
"E-Love", o amor nos sites de encontros
Os filmes de hoje já não têm mais como ignorar as novas tecnologias. A internet, por exemplo, faz parte da vida das pessoas e, portanto, dos personagens dos filmes. Assim, em "Vampire", produção norte-americana dirigida pelo japonês Iwai Shunji, exibida na mostra Panorama do Festival de Berlim 2011 , um homem procura jovens suicidas em salas de bate-papo. Suicídio e salas de bate-papo também estão no polonês "Sala Samobojcow", de Jan Komasa, apresentado na mesma seção. Já "E-love", de Anne Vilacèque, da mostra Fórum, fala do amor buscado nos sites de encontros.

Mas, como evidenciam alguns outros integrantes da programação do 61º Festival de Berlim, há um outro tipo de uso das novas tecnologias e novas mídias: para fazer os filmes. Kevin MacDonald, conhecido pelo longa "O Último Rei da Escócia", juntou-se aos produtores Tony e Ridley Scott para dirigir "Life In a Day" , com milhares de contribuições digitais enviadas por gente do mundo todo.

Enquanto isso, o sul-coreano Park Chan-wook , de "Oldboy", criou com Park Chan-kyong – parceria chamada PARKing CHANce – o curta-metragem "PARANMANJANG", filmado inteiramente com a câmera do iPhone. Durante o festival, será possível comprovar se essas produções realmente apontam para o futuro.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG