"É maravilhoso fazer um projeto que realmente importa para mim", diz Jolie

Atriz mostrou sua estreia como diretora, "In the Land of Blood and Honey", no Festival de Berlim

Mariane Morisawa, enviada especial a Berlim |

Getty Images
Angelina Jolie em Berlim
Com a sala de coletivas do 62º Festival de Berlim superlotada, Angelina Jolie apresentou seu “In the Land of Blood and Honey”, que escreveu e dirigiu.

Provavelmente, nunca um diretor provocou tamanha comoção, que se estendia à rua lateral por onde os artistas chegam para as coletivas.

No filme, ela aborda as atrocidades da Guerra da Bósnia por meio da história de amor entre Danjel (Goran Kostic) e Ajla (Zana Marjanovic).

Acesse o especial do Festival de Berlim

Angelina mostra pulso nas cenas fortes de batalhas e dos crimes variados – estupros esporádicos e em massa, humilhação de velhos, assassinato de crianças, assassinatos, estupros e covas coletivas.

Mas, justamente por querer ser tão minuciosa ao retratar o sangrento conflito, cansa o espectador com tanta desgraça, ao mesmo tempo em que mostra menos habilidade nas cenas de amor.

Angelina disse que pensou muito sobre o que mostrar e o que não mostrar. “Todos que conhecem essa guerra sabem que exibo um pedaço pequeno do que realmente aconteceu. Mas eu acho que tem de ser difícil de olhar, porque foi a realidade. Quando acho fácil ver um filme de guerra, fico desconfortável.”

No caso específico de exibir crianças mortas, diz que fez justamente por ser mãe. “Tenho muito medo disso”, afirmou. Indagada sobre como vai ser para escolher outros projetos depois deste, tão pessoal, a atriz e cineasta afirmou: “Você quer dizer meus filmes de ação? Você encontra maneiras, gosto dos filmes de ação com mulheres fortes por causa das minhas filhas. É maravilhoso fazer um projeto que importa para mim, vai ser muito difícil conseguir fazer outras coisas."

A estrela mostrou firmeza com um jornalista que disse que ela fez um filme preto e branco, sem nuanças. “Você pode escrever como achar. Cada um tem sua historia e sua opinião. É como você vê. Mas acho que dá para perceber que não foi minha intenção”, respondeu.

A atriz Zana Marjanovic ajudou, quando comentou se a relação entre sua personagem e Danjel é de amor ou de sequestro. “A arte não manipula a opinião das pessoas. É o público quem decide. Não queremos dizer a você o que pensar sobre o amor dos dois. Eu sei minha verdade: seria uma história de amor bonita, mas não aconteceu porque a guerra mudou tudo. E, tendo vivido a guerra, sei que ela muda não apenas sua vida e o cenário, mas muda as pessoas.”

Os atores que estavam presentes fizeram elogios à atriz, que os recebeu com rosto comovido. “Agradeço a você, Angelina, por ter me dado a oportunidade de expressar o que eu vivi durante a guerra”, afirmou Vanesa Glodjo.

    Leia tudo sobre: Festival de BerlimAngelina Joliecinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG