República Tcheca concede asilo a prisioneiro cubano

Rolando Jiménez Posada, ex-soldado e advogado, foi preso em 2003 por levar cartazes contra governo e revelar segredos de Estado

iG São Paulo |

A República Tcheca, parte da extinta Iugoslávia comunista e forte partidária da oposição em Cuba, concedeu asilo a um prisioneiro político da ilha que chegou a Praga nesta terça-feira.

Rolando Jiménez Posada, ex-soldado e advogado de 40 anos, foi preso em abril de 2003 por levar cartazes contra o governo e revelar segredos de Estado. O dissidente foi sentenciado a 12 anos de prisão.

"Antes de embarcar no avião da Iberia, não podia acreditar que estivesse acontecendo", disse Jiménez, que foi libertado na quinta-feira.

Os tchecos também deram asilo a quatro familiares do dissidente cubano. "É um sinal de apoio que a República Tcheca dá à luta pelos direitos humanos", disse à Reuters o chanceler tcheco, Karel Schwarzenberg.  "Os direitos humanos são a prioridade da política exterior tcheca e os apoiaremos onde sejam violados", declarou.

Praga disse também estar preparada para dar asilo político a 10 presos políticos cubanos.

Jiménez não estava entre os 52 opositores presos sob a chamada Primavera Negra cubana, em março de 2003, dos quais 39 foram libertados sob a mediação da Igreja Católica. Além desse grupo, o governo cubano anunciou a libertação de mais oito presos políticos, entre eles Jiménez.

Acordo

Autoridades cubanas deram início à libertação de presos políticos no início do segundo semestre deste ano, depois de manter um diálogo com a Igreja Católica. Desde então, 47 homens receberam asilo na Espanha. O acordo busca parcialmente melhorar as relações de Havana com a União Europeia.

Os tchecos foram, por muito tempo, os críticos mais expressivos de Cuba no bloco de 27 nações e há anos bloquearam os esforços liderados pela Espanha para criar laços mais próximos entre a União Europeia e o Estado comunista.

*Com Reuters

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG