Raúl Castro convoca Congresso do Partido Comunista

Sexta edição do encontro, que não é realizado desde 1997, vai discutir os problemas econômicos da ilha

iG São Paulo |

O presidente de Cuba, Raúl Castro, anunciou nesta segunda-feira que o sexto Congresso do Partido Comunista foi marcado para abril de 2011. O congresso, que não é realizado desde 1997, vai discutir os problemas econômicos da ilha.

"O sexto congresso será centrado na solução dos problemas da economia, nas decisões fundamentais para a atualização do modelo econômico cubano", afirmou Raúl. "Serão adotadas as diretrizes da política econômica e social do partido e da Revolução", acrescentou.

O líder pediu a participação de toda a população na preparação do congresso e disse que a unidade dos "revolucionários" é a mais irmportante "arma estratégica" do país.

É durante o evento que o Partido Comunista estabelece as diretrizes para o país nos cinco anos seguintes.

Em 2008, em sua primeira declaração oficial após se tornar presidente, Raúl Castro anunciou que o congresso seria realizado no final de 2009. Porém, em julho do ano passado a reunião foi adiada por prazo indefinido. Fidel Castro, que em 2006 se afastou da presidência devido a uma grave doença, continua sendo o primeiro-secretário do Partido Comunista de Cuba, o único da ilha. Raúl Castro disse que há alguns dias entregou ao "comandante-chefe da Revolução" o primeiro exemplar do "projeto de delineamentos do congresso".

Segundo Raúl, será realizado um seminário nacional para guiar a "discussão em massa" destes documentos, que serão apresentados entre 15 e 30 de novembro em fóruns realizados em todos os municípios do país. Entre dezembro de 2010 e fevereiro de 2011, a população ainda poderá discutir os documentos.

Raúl Castro também antecipou que depois do congresso, ainda em 2011, o Partido Comunista realizará sua primeira Conferência Nacional para tratar de "outros assuntos de caráter interno (...) que também precisam ser aperfeiçoados à luz da experiência destes 50 anos".

Em outubro, o governo cubano iniciou um corte de 500 mil empregos públicos. O processo será concluído em março e constitui a primeira etapa de um plano para eliminar mais de um milhão de cargos no Estado, algo em torno de 20% da força de trabalho da Ilha. A fim de ampliar o setor privado e absorver a maior parte dos funcionários públicos demitidos, o governo licenciou 178 profissões para o chamado trabalho "por conta própria".

Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: raúl castrofidel castrocubapartido comunista

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG