Governo cubano autoriza aluguéis para negócios privados

Flexibilização no setor imobiliário passa a valer também para cubanos e faz parte das reformas iniciadas por Raúl Castro

Reuters |

O governo cubano autorizou aluguéis comerciais de salas, jardins e até piscinas para facilitar a instalação de pequenos negócios privados, informou a imprensa oficial na segunda-feira.

A mudança faz parte das reformas do presidente cubano, Raúl Castro, que em outubro deu início à expansão do setor privado para absorver parte dos 500 mil funcionários públicos que serão demitidos até março para reduzir o peso do Estado.

A flexibilização do setor imobiliário busca apoiar a instalação de restaurantes, barbearias e outros pequenos negócios. "Por exemplo, uma sala pode ser usada como um cabeleireiro, um estúdio fotográfico, um pequeno local de costura, etc", disse o Granma, jornal do Partido Comunista.

Desde a introdução do sistema, há um mês, a imprensa oficial estima terem sido entregues 29 mil licenças de emprego por conta própria.

Aluguel para cubanos

Buscando aliviar um déficit de cerca de 500 mil habitações em Cuba, o governo autorizou também o aluguel de casas a cubanos. Os proprietários deverão pagar um imposto segundo o espaço que alugam, além de um imposto sobre a renda e uma contribuição à previdência social.

De acordo com uma tabela publicada na segunda-feira pelo Granma, aqueles que alugarem uma sala de uma casa deverão pagar 150 pesos conversíveis (US$ 162 dólares), segundo a moeda em que realizam a operação. As medidas são vistas como primeiro passo rumo à liberalização do setor imobiliário.

    Leia tudo sobre: cubaaluguelsetor privadoreformas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG