Conheça o ex-professor que pode suceder os irmãos Castro em Cuba

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Progressista, Miguel Díaz-Canel é primeiro político a ocupar cargo de vice-presidente sem ter lutado na revolução cubana

BBC

Informal e com perfil progressista, o ex-professor universitário Miguel Díaz-Canel, de 52 anos, tornou-se um dos principais políticos cotados para suceder os irmãos Castro ao ser eleito neste fim de semana vice-presidente de Cuba pelos próximos cinco anos.

A especulação em torno do seu nome cresceu após o agora reeleito presidente Raúl Castro confirmar diante da Assembleia Nacional que este será seu último mandato.

Leia mais: Fidel comparece à sessão de abertura de novo Parlamento em Cuba

Reuters
Recém-eleito vice-presidente cubano Miguel Díaz-Canel participa da sessão da Assembleia Nacional do Poder Popular em Havana


Dia 4: Fidel Castro reaparece em público para votar em eleição cubana

Sucessor: Reeleito, Raúl Castro confirma transição política em Cuba

Apontado para o cargo em 2006 para substituir temporariamente o irmão, Fidel Castro, e depois eleito oficialmente em 2008, Raúl manifestou seu respeito à medida reformatória instaurada em seu próprio governo, que limita em dois o número de mandatos de presidentes na ilha.

Essa é a primeira vez que o cargo de vice-presidente cubano será ocupado por um dirigente que não lutou na revolução – algo que está sendo interpretado por analistas como uma aposta da velha guarda em uma nova geração para dar continuidade ao socialismo no país em um momento em que o regime passa por uma série de reformas e medidas de abertura.

Dissidente: Blogueira Yoani cobra posição do Brasil sobre direitos humanos em Cuba

Saiba mais: Veja o especial do iG sobre Cuba

A idade média dos 31 membros do novo Poder Executivo do país após as últimas eleições de domingo é de 57 anos, enquanto a maior parte dos que pegaram em armas na Sierra Maestra já é octogenária.

Progressista

Díaz-Canel foi professor universitário, membro da Juventude Comunista e primeiro-secretário do Partido Comunista nas províncias de Villa Clara e Holguín. Em 1991, foi nomeado membro do Comitê Central e em 2003 chegou ao Politburo, instância máxima do Partido.

Reformas:

Reformas:
- Cuba têm filas em agências de turismo no 1º dia de lei sobre viagens ao exterior
- Cuba permitirá regresso de 'emigrantes ilegais'
- Cuba detalha lei que permite compra e venda de carros e imóveis
- Cuba levanta proibição para venda de eletrodomésticos vigente desde 2003

Ele pertence a um grupo de líderes partidários que chefiaram governos provinciais distantes da capital, o que permitiu bastante independência e capacidade de manobra.

No caso de Villa Clara, a personalidade de Díaz-Canel se imprimiu ao seu governo, de forma que houve na província uma vida cultural e tolerância raramente vistas em outras partes da ilha, com festivais nacionais de travestis e tatuagens, além de um alto número de bandas de rock.

Além disso, em contraste com o estilo de muitos secretários de outras províncias, Díaz-Canel usava a bicicleta como meio de transporte, vestindo bermuda e camiseta, e chegou a dar uma entrevista à BBC em uma pizzaria.

Leia tudo sobre: cubaeleiçãomiguel díaz canelfidel castroraúl castro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas