Casal de atores cubanos que desertou nos EUA reaparece

Protagonistas de filme premiado em Tribeca dizem ter 'realizado sonho' e anunciam que vão pedir asilo político

iG São Paulo |

Dois atores cubanos que desertaram para os Estados Unidos durante uma viagem para participar do Festival de Cinema de Tribeca, em Nova York, reapareceram neste fim de semana, após mais de dez dias desaparecidos.

Javier Nuñez Florián e Anailin de la Rúa, ambos de 20 anos, seguiram o mesmo roteiro de seus personagens no filme “Uma Noche”, que conta a história de três adolescentes cubanos que desertam para os Estados Unidos.

Leia também: Protagonistas de filme cubano vencedor em Tribeca desaparecem

Reuters
Javier Nuñez Florián e Anailin de la Rúa posam para foto após entrevista em Miami, nos EUA (27/04)

Nuñez, que recebeu um prêmio de melhor ator no festival, mas não foi buscá-lo, afirmou à BBC que conseguiu realizar um sonho de infância, mas que não tem dinheiro para celebrar o feito.

"Estamos muito contentes e emocionados", afirmou Nuñez, por telefone, de um hotel em Hialeah, bairro com grande concentração de cubanos em Miami. "Desde pequeno sonhava em sair de Cuba. Mas agora temos que conseguir um trabalho o quanto antes e ganhar dinheiro.”

Segundo Nuñez, por enquanto ele e Anailin estão vivendo com a ajuda de amigos. Ele diz que precisará também enviar dinheiro para sua mãe, que vive sozinha em Havana.

Ele afirmou ainda que passou o sábado comprando roupas com sua companheira de viagem, que desde a filmagem do longa-metragem é também sua namorada.

Plano de fuga

Os dois atores planejaram a fuga quando souberam do convite que receberam para participar da entrega dos prêmios em Nova York.

Eles não revelaram suas intenções ao produtor e ao outro ator que os acompanhava na viagem e aproveitaram uma escala em Miami durante o trajeto de Havana a Nova York para se separar do grupo. No aeroporto, eram aguardados por um amigo.

Os dois dizem que querem seguir trabalhando como atores, mas que desde o fim das filmagens de Una Noche não vinham conseguindo mais trabalho e ganhavam a vida com outras ocupações - Nuñez como garçom em uma pizzaria e De la Rúa vendendo joias a turistas nas ruas de Havana.

O casal terá de resolver sua situação legal de imigrantes para poder trabalhar nos Estados Unidos. O advogado deles, Wilfrdo Allen, afirmou à BBC que apesar de os cubanos terem direito à residência permanente nos Estados Unidos após um ano e um dia no país, precisam esperar esse tempo para receber autorização para trabalhar.

Mas Allen afirmou que vai pedir às autoridades americanas que reconheçam o asilo político "diante do risco de que eles possam sofrer represálias se voltarem a Cuba", para que possam começar a trabalhar em poucas semanas.

Com BBC

    Leia tudo sobre: cubaeuafestival de tribecadeserção

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG