Após morte de presidente venezuelano, Maduro assume interinamente enquanto se convocam eleições para daqui 30 dias

Logo após a confirmação da morte do presidente da Venezuela, Hugo Chávez , nesta terça-feira, os chefes das Forças Armadas do país apareceram ao vivo na TV estatal para prometer  lealdade ao vice-presidente Nicolás Maduro  e à Constituição do país. O líder da Venezuela morreu às 16h25 locais (17h55 em Brasília), vítima de câncer, aos 58 anos, disse Maduro em um pronunciamento.

Obituário: Morre aos 58 anos Hugo Chávez, presidente da Venezuela

Foto divulgada pelo Palácio de Miraflores mostra ministro da Defesa Diego Molero com outros militares prometendo lealdade à Constituição após morte de Chávez
AP
Foto divulgada pelo Palácio de Miraflores mostra ministro da Defesa Diego Molero com outros militares prometendo lealdade à Constituição após morte de Chávez

Sucessão: Maduro assume interinamente; nova eleição ocorre em 30 dias

Chanceler da Venezuela: Cerimônia fúnebre de Chávez será sexta

Até a realização de novas eleições em 30 dias, Maduro ficará no poder interinamente , anunciou o chanceler Elías Jaua, que também informou que a cerimônia funeral de Chávez ocorrerá na sexta-feira.

"Está muito claramente estabelecido o que acontece, e o que sempre defendemos, agora que se produziu uma ausência absoluta, assume o vice-presidente da República como presidente e ocorrem novas eleições nos próximos 30 dias", disse Jaua em comentários televisionados.

Antes de viajar a Cuba em dezembro para ser submetido à quarta cirurgia relativa a um câncer, Chávez designou Maduro como seu potencial sucessor e candidato governista em caso de novas eleições. O candidato derrotado por Chávez em outubro, o governador do Estado de Miranda, Henrique Capriles , poderia ser o representante da oposição.

Luto: Vice pede união, e venezuelanos choram e lamentam morte de Chávez

De acordo com a Constituição do país, porém, quem deveria governar interinamente no período da eleição até a posse do novo presidente eleito seria o presidente da Assembleia Nacional venezuelana, Diosdado Cabello.

Anúncio da morte

Com voz embargada e lágrimas escorrendo em seu rosto por diversas vezes, Maduro anunciou a morte do presidente "após uma dura batalha contra uma doença por quase dois anos " em um pronunciamento à TV. Ele não especificou a causa da morte, embora o governo tenha dito na noite anterior que uma nova e severa infecção respiratória havia enfraquecido Chávez.

Reações:
- 'Morreu um grande latino-americano', diz Dilma sobre Hugo Chávez
- Chávez continuará 'iluminando o futuro da Venezuela’, diz Lula sobre morte
- Após morte de Chávez, Obama diz buscar 'relação construtiva' com Venezuela

Ao anunciar a morte, Maduro conclamou os venezuelanos a serem "herdeiros dignos do homem gigante" que Chávez era. "Que não haja nenhuma fraqueza, nenhuma violência. Que não haja ódio. Em nossos corações deve haver apenas um sentimento. Amor. Amor, paz e disciplina."

"Aqueles que nunca apoiaram o comandante Hugo Chávez, respeitem a dor da população. Este é o momento de pensar em nossas famílias, em nosso país."

Veja imagens do luto por Chávez:

*Com Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.