Wilson Lima pede apoio a secretários e diz que vai mantê-los no cargo

O governador em exercício do Distrito Federal, Wilson Lima (PR), se reuniu nesta quarta-feira pela primeira vez com o secretariado, no Buritinga, sede administrativa do GDF, localizada em Taguatinga. No encontro, convocado para discutir a governabilidade, ele pediu colaboração para que as instituições funcionem normalmente.

iG São Paulo |

Agência Brasil
Wilson Lima faz sua primeira reunião com secretários
De acordo com o assessoria de imprensa do GDF, o governador destacou que está fazendo um sacrifício pessoal para exercer o cargo, assumido nesta terça-feira após a renúncia do vice-governador Paulo Octávio e da prisão do governador José Roberto Arruda. A intenção de Lima, de acordo com a assessoria, é manter os secretários atuais. Ele vai se reunir diariamente com cada um deles para discutir a gestão. Mais cedo, Wilson Lima se reuniu com Paulo Octávio na vice governadoria do DF.

Lima solicitou que os secretários fizessem relatórios de cada pasta, acrescentou que pretende fazer uma transição tranquila e considerou inoportuna uma possível intervenção no DF. "Desejo manter durante esta interinidade a normalidade das ações administrativas e do caráter institucional e democrático do governo", afirmou.

Segundo o secretário de Transportes, Alberto Fraga (DEM-DF), Wilson Lima poderá deixar o cargo em abril como forma de se desincompatibilizar para disputar nas eleições de outubro um novo mandato para a Câmara Distrital. Já o secretário de Comunicação do DF, Andre Duda, procurou minimizar a informação de Fraga. "Não existe essa polêmica."

Paulo Octávio afastou-se nesta terça-feira do comando do Distrito Federal. Envolvido no escândalo do "Mensalão do DEM" e isolado pelo próprio partido, ele disse "não ser possível governar sangrando em praça pública". Com a renúncia, assumiu o deputado distrital Wilson Lima, tornando-se o terceiro governador a ocupar o posto em menos de duas semanas.

Poucos minutos antes de deixar o governo, Paulo Octávio pediu desfiliação do DEM. A legenda pediu a seus filiados que abandonassem os cargos que ocupavam no governo do DF logo após o governador eleito, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), ter sido preso pela Polícia Federal (PF), no último dia 11, por obstrução às investigações sobre o esquema de corrupção local do qual ele seria chefe e Paulo Octávio beneficiário. Sem apoio, Paulo Octávio decidiu renunciar.

Wilson Lima

Amigo de José Roberto Arruda, o deputado distrital Wilson Lima, eleito pelo PR, usou do bom trânsito entre os colegas para ser içado, no início do mês, a presidente da Câmara Legislativa. Foi nomeado após a saída de Leonardo Prudente, flagrado guardando dinheiro na meia, com votos de 17 dos 24 parlamentares. Desses 17, oito são investigados pela Operação Caixa de Pandora. Prudente e Eurides Brito, também flagrado recebendo dinheiro , estudam reunciar aos mandatos até quarta-feira.

Com a falta de credibilidade da Câmara Legislativa, os deputados estudam fazer uma emenda na Lei Orgânica do DF nos próximos 15 dias para abrir a possibilidade de uma eleição indireta no próximo mês.

Considerado afável e simpático pelos colegas, Wilson Lima recebeu dos colegas o apelido de deputado ursinho. "O Wilson Lima é muito amável no trato pessoal, sim, mas essa amabilidade não se sobrepõe aos mandos do governador", pondera a deputada Érika Kokay (PT).

* com informações da Aência Estado e Agência Brasil

Leia também:

Saiba mais sobre escândalo no DF


    Leia tudo sobre: escândalo no df

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG