STJ nega pedido de liberdade de promotora e marido

Ministro considerou que casal tenta dificultar investigação de suposto esquema de corrupção. Defesa alega que prisão foi 'abusiva'

iG Brasília |

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou nesta quinta-feira (21) o pedido de liberdade da promotora de Justiça Deborah Guerner e do marido, o empresário Jorge Guerner. Investigada por suposta ligação com esquema de corrupção no Distrito Federal, Deborah e o marido foram presos ontem após nova denúncia contra ela e por o casal ter deixado o País sem autorização da Justiça.

AE
Com a cabeça coberta a promotora de Justiça Deborah Guerner é vista na sede da Polícia Civil de Brasília
No pedido de habeas corpus, a defesa alega que a prisão foi “abusiva” e que seus fundamentos são “extra legais”. No entanto, o ministro João Otávio de Noronha, que indeferiu a liminar, considerou que o casal tem agido no sentido de atrapalhar as investigações.

O Ministério Público Federal apresentou três denúncias contra o casal. Numa delas, acusa Deborah e o marido de fraude processual por simular incapacidade mental, o que poderia anular os processos contra eles.

Deborah e o ex-procurador-geral de Justiça do Distrito Federal Leonardo Bandarra foram afastados do Ministério Público do Distrito Federal em dezembro de 2010, sob acusação de cobrar propina do governo em troca de proteção e de vazamento de informações sigilosas.

A prisão aconteceu ontem na residência do casal. Após passarem por exames de corpo delito, Deborah é mantida presa na Superintendência da Polícia Federal e o marido foi encaminhado para o presídio da Papuda, ambos em Brasília.

    Leia tudo sobre: stjhabeas corpusdeborah guernerescândalo no df

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG